Arquivo da tag: Nestlé

Nestlé inaugura instituto de desenvolvimento de embalagens sustentáveis

A Nestlé está inaugurando o Institute of Packaging Sciences [Instituto de Ciências da Embalagem], na sede da Nestlé Research, em Lausanne, na Suíça. O novo instituto permitirá à companhia acelerar seus esforços para trazer ao mercado soluções funcionais, seguras e ecologicamente corretas para enfrentar o desafio global dos resíduos das embalagens plásticas. A iniciativa é um passo importante para a companhia alcançar o compromisso de tornar 100% de suas embalagens recicláveis ou reutilizáveis até 2025.

“Temos a visão de um mundo em que nenhuma de nossas embalagens termine em aterros sanitários ou como lixo. Para tanto, estamos introduzindo soluções de embalagens reutilizáveis e pioneiras em materiais ecológicos. Além disso, apoiamos o desenvolvimento de infraestrutura local de reciclagem e armazenagem, contribuindo para um mundo sem resíduos”, disse Mark Schneider, CEO da Nestlé.

O instituto se concentra em várias áreas da ciência e tecnologia, como embalagens reutilizáveis, materiais de embalagem simplificados, reciclados, papéis de barreira de alto desempenho e materiais de base biológica, compostáveis e biodegradáveis. O centro inclui um complexo de laboratórios de última geração, além de instalações para prototipagem rápida. Em estreita colaboração com a rede global de pesquisa e desenvolvimento da Nestlé, parceiros acadêmicos, fornecedores e startups, o instituto avaliará a segurança e a funcionalidade de vários materiais de embalagem sustentáveis.

A multinacional também vem investindo em outras ações ligadas à sustentabilidade. A empresa desenvolveu com especialistas e fornecedores de embalagens produtos empacotados em papel reciclável, tais como o chocolate em pó Nesquik All Natural e as barras de cereais YES!.

A Nestlé anunciou também a meta de atingir emissão zero de gases de efeito estufa até 2050. A companhia adota o objetivo mais ambicioso do Acordo de Paris, de limitar o aumento da temperatura global em 1,5°C. Antecipando-se à Conferência sobre as Mudanças Climáticas, organizada pelo Secretário Geral das Nações Unidas neste mês, a empresa assinará o compromisso “Ambição das Empresas pela meta de 1,5°C”. A Nestlé revisará seu progresso anualmente.

Com o anúncio, a fabricante acelera seus esforços relacionados às mudanças climáticas, com base em mais de dez anos de trabalho para reduzir as emissões de gases de efeito estufa. Nos últimos quatro anos, a empresa alinhou seus objetivos com metas científicas para manter o aumento da temperatura abaixo de 2°C.

“A mudança climática é uma das maiores ameaças que enfrentamos como sociedade. É também um dos maiores riscos para o futuro de nossos negócios”, disse Schneider. “Nosso tempo para evitar os piores efeitos do aquecimento global está acabando. É por isso que estamos estabelecendo uma ambição mais ousada de alcançar um futuro com emissão zero. Implantando os recursos globais e o know-how industrial da Nestlé, sabemos que podemos fazer uma diferença muito significativa. Nossa jornada para a emissão zero já começou há algum tempo. O que estamos fazendo agora é acelerar nossos esforços”, acrescentou.

Para alcançar a meta, a companhia irá adotar ações, tais como: lançar mais produtos com melhor pegada ambiental e que contribuam para uma dieta equilibrada, o que inclui mais opções de alimentos e bebidas à base de vegetais; ampliar iniciativas na agricultura para absorver mais carbono, por meio do fortalecimento de seus programas com agricultores para recuperar a terra e limitar as emissões de gases de efeito estufa; implantar ações de reflorestamento e melhora da biodiversidade; usar energia elétrica 100% renovável nas fábricas, armazéns, logística e escritórios da Nestlé.

“Estamos transformando nossas operações para alinharmos nossos objetivos com a meta de 1,5°C e levar a uma grande mudança na maneira como nossos ingredientes são produzidos e adquiridos. Nossos fornecedores precisarão embarcar nessa jornada conosco. A tarefa é enorme, mas estamos determinados a fazer com que isso se realize”, afirmou Magdi Batato, vice-presidente Executivo e chefe de Operações da Nestlé.

A empresa está tornando suas redes de distribuição e depósitos mais eficientes e otimizando suas rotas para reduzir o consumo de combustível e as emissões de carbono. Nos 100 principais centros de distribuição da empresa as emissões de gases de efeito estufa diminuíram quase 40% nos últimos quatro anos. A Nestlé intensificou suas atividades para assegurar o fornecimento responsável de suas matérias-primas e progrediu em direção à sua meta de desmatamento zero. Desde 2014, a redução das emissões de gases de efeito estufa em toda a sua cadeia de valor é equivalente à retirada de 1,2 milhão de carros das ruas.

Imprensa Mercado & Consumo - 

Starbucks at Home leva realidade aumentada para pontos de venda

A Starbucks at Home, nova linha de cafés da rede de cafeterias feita em parceria com a Nestlé, criou experiências personalizadas para os consumidores em pontos de venda, com uma gôndola inteligente e uma ativação de realidade aumentada. O objetivo é ajudar as pessoas a conhecerem melhor os produtos e realizarem uma compra mais direcionada e adequada ao seu perfil.

O aplicativo de realidade aumentada é acessado por meio de um tablet disponível em espaços ambientados da marca. Ao apontar o dispositivo para um marcador impresso no móvel, é projetado o holograma de um embaixador Starbucks, que apresenta um menu interativo com as opções de vídeos informativos, quiz e conteúdos adicionais. O quiz conta com cinco perguntas chaves e respostas rápidas que ajudam a mapear a personalidade do consumidor e permitem a indicação do produto mais adequado para ele.

Pelo aplicativo também é possível descobrir e ter mais informações sobre as diferentes formas de preparo – como prensa francesa, coado, sistemas Dolce Gusto e Nespresso –, torras, aromas e conhecer mais sobre a história do café. Promotores ficam posicionados nos pontos de venda para auxiliar os consumidores no uso do aplicativo.

Já a gôndola inteligente traz um sistema que consegue capturar todos os dados de interação do consumidor com o produto no espaço, além de possuir um dispositivo de mídia que traz mensagens sobre os itens disponíveis ali. A gôndola também reposiciona automaticamente os produtos quando a pessoa retira um item da prateleira, trazendo-os para a frente.

As novidades já estão presentes em dez lojas em São Paulo, que podem ser localizadas no site Starbucks at Home. “Queremos que o consumidor tenha em mãos ali, no momento da compra, todas as informações necessárias para fazer uma escolha assertiva. Com as tecnologias, conseguimos ter cada vez mais dados para oferecer opções personalizadas para a pessoa ser atendida em suas necessidades”, afirmou Erika Junqueira, head de Marketing de Starbucks.

A linha Starbucks At Home foi lançada em abril, sendo composta por 15 produtos, entre seis variedades de cápsulas para o sistema Nespresso, seis para o sistema NESCAFÉ Dolce Gusto – incluindo cappuccino e latte maccchiato – e três opções de torrado e moído, que marcam a entrada da empresa neste segmento no Brasil. A nova linha conta com blends da Starbucks, todos produzidos com café 100% arábica, proveniente de cultivos ambientalmente responsáveis, condições de trabalho justas e transparência econômica. A linha traz em suas embalagens informações e conteúdo que ajudam o consumidor a identificar a bebida – como perfil da torra, aroma e intensidade.

A Nestlé investiu US$ 7,15 bilhões pelo direito perpétuo e global de comercialização, exclusivamente no varejo, de produtos com a marca Starbucks, com exceção das cafeterias S. A linha está disponível nos principais supermercados de São Paulo.

Unilever, Tesco e Nestlé são as mais preparadas para substituir carne

LONDRES (Reuters) – Unilever, Tesco e Nestlé estão entre as empresas mais preparadas para capitalizar a tendência de substitutos vegetais para a carne, de acordo com um relatório de um grupo de investidores que administra 5 trilhões de dólares em ativos.

O relatório da coalização FAIRR mostrou que 25 grandes varejistas e fabricantes estão desenvolvendo estratégias para produtos protéicos sustentáveis, reconhecendo o risco de uma estratégia dependente de proteína animal.

“Muitas começaram agora uma jornada para diversificar os produtos protéicos, deixando de ser predominantemente feitos de animais, para fontes de baixo carbono e menos intensivas em recursos feitos com plantas”, disse Jeremy Coller, fundador da FAIRR, que inclui instituições como o UBS e a Schroders.

Unilever, Tesco e Nestlé ocuparam o topo do ranking por seu trabalho em entender o impacto e reduzir os riscos associados à agricultura intensiva, como a emissão de gases de efeito estufa.

As empresas também estão entre as companhias com fortes programas de fornecimento sustentável e metas para reduzir emissões de poluentes, disse Aarti Ramachandran, chefe de pesquisa e envolvimento da FAIRR.

O relatório, intitulado “Appetite for Disruption”, revelou que 87% dos varejistas estão aumentando a quantidade de seus produtos vegetais de marca própria, enquanto 64% das 25 empresas consultadas pela FAIRR fazem referências a produtos “veganos” e “à base de plantas” em seus relatórios anuais.

O mercado de proteína alternativa decolou em parte devido à inclusão de tais produtos em cadeias de restaurantes globais, como Burger King e McDonald’s, bem como a oferta bem sucedida de ações da produtora norte-americana de carne vegetal Beyond Meat.

O mercado alternativo de proteína agora está avaliado em 19,5 bilhões de dólares e deverá capturar 10% do mercado global de carne, segundo o relatório, que cita pesquisas do Barclays e do JPMorgan. O mercado deve atingir 100 bilhões de dólares em valor em 15 anos.

“Não podemos enfrentar a mudança climática… a menos que as empresas alimentícias diversifiquem mais rapidamente seus portfólios de proteína saindo da agricultura animal”, disse Coller.

Por Siddharth Cavale – NOTÍCIAS DE NEGÓCIOS – 24 DE JULHO DE 2019

https://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKCN1UJ2SS-OBRBS

Nestlé abre loja própria e quiosque do Leite Moça em São Paulo

A Nestlé abriu neste mês o Empório Nestlé, loja própria da fabricante dedicada aos seus produtos. Localizada na nova sede da companhia, na Avenida das Nações Unidas, em São Paulo, a unidade ficou maior e passou a ocupar 744 m², com novidades no layout e na disposição dos itens, ambientes mais modernos, personalizados e destaque para as marcas. A loja está aberta ao consumidor, que encontra todo o portfólio da companhia, inclusive as novidades e lançamentos.

Na unidade estão à venda mais de 1.500 tipos de produtos, entre chocolates, culinários, cafés, lácteos, cereais, bebidas, achocolatados, nutrição infantil, alimentos para pets, entre outros. Também estão disponíveis itens de marcas como Loreal, Roots to Go, Terra Fértil, Life Mix, Sodiê e The Body Shop. O cliente também pode comprar pelo site e retirar na loja física duas horas após a confirmação do pedido. Há também a possibilidade de entrega para endereços que fiquem em um raio de até 15 km de distância da companhia.

Com a iniciativa, a Nestlé reforça a intenção de buscar novas formas de interagir com o consumidor e conhecer suas preferências. A integração entre loja online e física nasceu de uma parceria com a scale-up Supermercado Now, marketplace focado em supermercados que permite que o consumidor compre produtos de lojas próximas de seu endereço e os receba em até uma hora. A scale-up uma das empresas aceleradas por meio do programa Scale-Up Endeavor Alimentos e Bebidas.

A empresa também abriu nesta semana, por meio de sua divisão de foodservice, a Nestlé Professional, o primeiro quiosque tematizado do Leite Moça, operado por um parceiro comercial. O Cake Point by Moça está localizado no primeiro piso do Shopping Metrô Santa Cruz, em São Paulo e irá comercializar as receitas da marca, entre elas pudins, brigadeiros e bolos de diversos sabores. A meta da companhia é expandir e acelerar esse modelo de negócio nos próximos anos.

Nestlé lança projeto piloto de blockchain para rastreio de produtos

A Nestlé firmou parceria com o OpenSC, uma plataforma de blockchain que permite aos consumidores rastrear a origem de sua comida desde a fazenda. O anúncio faz parte da estratégia da companhia de proporcionar maior transparência ao consumidor.

Fundada pelo WWF-Austrália e pelo Boston Consulting Group Digital Ventures, o OpenSC desenvolveu uma plataforma que dará a qualquer pessoa, em qualquer lugar, acesso a dados de sustentabilidade e cadeia de suprimentos que podem ser verificados de forma independente.

O programa piloto inicial irá rastrear o leite de fazendas e produtores na Nova Zelândia para as fábricas e armazéns da Nestlé no Oriente Médio. Mais tarde, a tecnologia será testada no óleo de palma proveniente das Américas. Esses pilotos permitirão à Nestlé entender como o sistema é escalável. “Queremos que nossos clientes tomem uma decisão informada sobre seus produtos, ou seja, que escolham itens produzidos com responsabilidade. A tecnologia Open Blockchain pode nos permitir compartilhar informações confiáveis com os consumidores, com um caminho acessível”, destacou Magdi Batato, vice-presidente executivo e head de Operações da Nestlé.

A empresa vem testando a tecnologia blockchain desde 2017, principalmente com a IBM Food Trust. Em abril, ela deu aos consumidores acesso a dados de blockchain pela primeira vez, através do purê Mousline, na França. A tecnologia permite o registro da origem e destino de um produto, desde a produção até a chegada ao consumidor final, de forma inalterável.

“Essa tecnologia blockchain aberta permitirá que qualquer pessoa, onde quer que esteja, avalie nossos números e informações de fornecimento responsável”, explicou Benjamin Ware, diretor global de Fornecimento Responsável da companhia. “Acreditamos que é mais um passo importante para a divulgação completa de nossas cadeias de fornecimento, anunciada pela Nestlé em fevereiro deste ano, elevando o nível de transparência e produção responsável globalmente”, concluiu.

Nestlé abre loja online no Mercado Livre

A Nestlé e a empresa de outsourcing e e-commerce Brasil CT fecharam parceria para abrir a loja oficial da Nestlé no Mercado Livre, no modelo de marketplace. No lançamento, a loja virtual traz a linha completa de Páscoa da companhia, que, em 2019, é composta por 50% de novos produtos. No site estão disponíveis itens como os ovos Kit Kat, Talento, Alpino e Surpresa – que este ano vem acompanhado de portais de Realidade Aumentada. Nos próximos meses, será possível encontrar no marketplace o portfólio completo da marca, com chocolates, produtos culinários, cafés, incluindo a linha Dolce Gusto, lácteos, cereais, bebidas, achocolatados, nutrição infantil, alimentos para pets, entre outros itens.

A loja no Mercado Livre reforça a estratégia da Nestlé de buscar novas formas de interação com o consumidor e conhecer suas preferências. “Nossa missão é estar onde o consumidor está, e o marketplace no Mercado Livre é certamente um dos canais mais procurados para compras online”, afirmou Maria Clara Batalha, head de E-commerce da Nestlé.

A fabricante irá fornecer os produtos para a Brasil CT, que será responsável pela gestão de toda a logística de recebimento de pedidos e entrega ao consumidor. O processo acontecerá na plataforma do Mercado Livre, o maior marketplace da América Latina e 7º site mais acessado no Brasil, com 331 milhões de visitas por mês. “Estamos trazendo uma alternativa nova em um dos mercados mais tradicionais da sociedade. Comprar os ovos pela internet pode facilitar a busca por preços melhores. Vale destacar que trabalhamos em todas as etapas do processo, garantindo a entrega intacta do ovo na residência”, destacou Francisco Donato, CEO da BrasilCT.

https://www.mercadoeconsumo.com.br/2019/04/18/nestle-abre-loja-online-no-mercado-livre

Após pedido de consumidores, lata de Leite Moça terá abridor

A lata de Leite Moça, embalagem icônica para muitos consumidores brasileiros, ganhou um sistema abridor e trouxe de volta as receitas no rótulo. É a primeira mudança em seu design nos últimos 10 anos, diz a fabricante Nestlé.

O visual atualizado do produto chega às prateleiras até o fim do mês, e nasceu de pedidos feitos por consumidores, afirma a empresa de alimentos. A Nestlé recebeu solicitações para facilitar o manuseio da lata, que por isso “emagreceu”, ficando mais vertical ou “slim”.

Segundo a companhia, o novo formato traz a mesma quantidade de produto, 395 gramas. “Sempre valorizamos a proximidade com nossos clientes, e agora reforçamos esta conexão”, afirma Daniele Novaes, gerente de marketing de Leite Moça no Brasil.

Fonte: Exame

Foodservice – 07 Mai 2014

http://www.gsmd.com.br/pt/noticias/food-service/apos-pedido-de-consumidores-lata-de-leite-moca-tera-abridor