Arquivo da tag: franquia

O franchising como resposta para o crescimento das empresas

Se tem algo que ficou claro nos últimos tempos é o quanto que as empresas precisam ser ágeis para se adaptarem e atenderem às necessidades altamente mutantes dos consumidores. Afinal, crescer num ambiente que muda tanto está intimamente relacionado à agilidade e, muitas vezes, também ao franchising. Vou te mostrar aqui cinco atributos que as empresas que continuam crescendo mesmo em cenários desafiadores têm e o quanto o franchising pode suportá-las em todos eles.

  • Buscar novas oportunidades dentro e fora do negócio:
    Cada vez mais as empresas precisam buscar novos modelos de negócio e novas oportunidades de desenvolvimento no mercado. De forma prática, perseguir novas áreas de desenvolvimento para garantir novas fontes de receita e uma visão mais abrangente do mercado e dos consumidores. Um movimento que temos visto no franchising e que tem sido uma oportunidade de diversificação de negócios são os casos de empresas de marcas complementares e sinérgicas para oferecem novas possibilidades para o mercado enquanto desenvolvem o negócio. Alguns casos são os de Arezzo e Reserva, Grupo Uni.Co e Lojas Americanas, Hering e Farm, Petz e ZeeDog, entre outros.
  • Escalar com parceiros:
    Estabelecer relações colaborativas com visão de futuro conjunta e que ampliam a atuação da companhia. No franchising, a possibilidade de ganho de escala são exponenciadas a cada novo franqueado que ingressa na rede. Ganhar mercado e fortalecer o posicionamento com presença local é uma das grandes vantagens do sistema. Para isso a empresa desenvolve alianças fora do seu ecossistema tradicional, por meio de uma nova atividade – ser franqueadora. Trata-se de um propósito distinto do inicial (de venda de produtos ou serviços) e que conta com parceiros estratégicos – franqueados – para alavancar os negócios.
  • Cliente no centro:
    Desenvolver produtos e serviços para suprir necessidades existentes e aquelas ainda incipientes do consumidor. No franchising, a contribuição dos franqueados da rede é valiosa. Com a percepção do mercado local, aceitação dos produtos e identificação de novas necessidades dos consumidores, a rede constrói uma inteligência coletiva, um ambiente de contribuição e de melhoria contínua no negócio, sempre com o olhar do cliente em foco.
  • Repensar da cultura:
    Um redesign completo da cultura pode ser o que vai levar a empresa para uma transformação bem-sucedida e a conquista da relevância no mercado. No franchising, uma rede que cuida da perpetuação da cultura e de jeito de ser da companhia para os franqueados consegue, a partir do olhar de dono em cada unidade, em cada novo mercado que está sendo explorado, fortalecer ainda mais seu posicionamento frente ao cliente.
  • Construção de engajamento:
    O relacionamento constante, a geração de novas experiências e estar realmente presente é fundamental. No franchising, a contribuição para o desenvolvimento do negócio vem de todos os lados. A capacidade do franqueador de inovar constantemente se amplia com o franchising. Além disso, as unidades podem servir de laboratório para novas iniciativas pivotando as ideias prototipadas, garantindo agilidade para os projetos de inovação e cada vez mais o engajamento com o negócio e com o crescimento da rede.

Lyana Bittencourt é CEO do Grupo Bittencourt – 10/09/21 – https://mercadoeconsumo.com.br/2021/09/10/o-franchising-como-resposta-para-o-crescimento-das-empresas

Cacau Show lança novo modelo de operação de franquia: as Lojas Containers

A Cacau Show acaba de lançar um novo modelo de operação franquias, as Lojas Containers. A ideia é que este formato esteja presente em locais como estacionamentos de supermercados, grandes lojas de departamento, bairros de grandes e médias cidades e centros de cidades menores.

Cacau Show lança novo modelo de operação de franquia: as Lojas Containers

São dois os tamanhos disponíveis: um com área interna de 15m² e investimento a partir de R$ 59,9 mil e outro com 17m² e investimento a partir de R$ 66,9 mil. Ambos possuem área externa para disponibilização de mesas e cadeiras para consumo no local. O novo formato tem previsão de retorno de investimento a partir sete meses.

“Estamos, desde agosto, realizando um piloto deste formato em Limeira [interior de São Paulo], e vimos que é algo que pode ser implementado em outras regiões pelo Brasil. Temos certeza de que será um sucesso e, com isso, levaremos a Cacau Show para diversos outros lugares”, afirma Daniel Roque, diretor de Canais e Expansão da Cacau Show.

21/12/2020- Redação – https://mercadoeconsumo.com.br/2020/12/21/cacau-show-lanca-novo-modelo-de-operacao-de-franquia-as-lojas-containers/

OMO lança rede completa de lavanderias para os brasileiros

Lavanderia OMO

OMO, presente em 8 de cada 10 lares brasileiros e sempre atenta aos novos hábitos dos consumidores que buscam cada vez mais soluções práticas e eficientes no seu dia a dia, lança OMO Lavanderia™. A nova rede oferece o cuidado completo com as roupas daqueles que querem um serviço especializado e não deseja ou não tem tempo de realizar essa tarefa em casa, com a qualidade e expertise da marca que os brasileiros mais confiam para cuidar das suas roupas. A novidade nasce da aquisição das operações do Grupo Acerte, uma rede de lavanderias de sucesso reconhecido por sua qualidade no mercado de limpeza e conservação.

A marca traz tecnologias e modelos de atendimento inovadores para o mercado, oferecendo muita facilidade para todos os perfis de consumidores. “Estamos revolucionando o mercado de lavanderia por meio de uma das marcas mais amadas do Brasil, trazendo ainda mais cuidado e tecnologia. OMO Lavanderia™ chega para transformar a relação do cliente com as lavanderias profissionais, democratizando e simplificando o serviço, sem abrir mão da qualidade e conveniência”, destaca Eduardo Campanella, vice-presidente de Marketing da Unilever.

O objetivo é oferecer maior cuidado para todos os tipos de roupas, sejam do dia a dia ou aquelas especiais, que o consumidor não sabe como lavar ou tem medo de danificar. Além disso, o menu de possibilidades inclui limpeza para o sofá, enxoval de bebê, vestidos de noiva, tapetes e cortinas. OMO Lavanderia™ oferece quatro tipos modelos de serviço, oferecendo muita praticidade e inovação também no atendimento:

  • OMO LAVANDERIA ESPECIALIZADA: Modelo em que o consumidor não precisa se preocupar com nada. Todo o processo é feito por um atendimento especializado, desde delivery, ao cuidado com itens da casa, como, tapetes, cortinas, vestidos de noiva etc.
  • OMO LAVANDERIA EXPRESS: Lavanderias cada vez mais próximas do consumidor, com todo cuidado de OMO também na opção de cesto.
  • OMO LAVANDERIA SELF-SERVICE: Ideal para aqueles que gostam de realizar todo o processo sozinhos, porém, fora de casa e com a qualidade de máquinas profissionais.
  • OMO COSTURA: Soluções de reparo, reforma, costura e bainha das roupas. Além do cuidado na hora de lavar, há a opção de aproveitar o momento para fazer aquele ajuste necessário.

A tecnologia é outro grande diferencial da rede, já que por meio de um modelo digital, será oferecida a comodidade de escolher, acompanhar e fazer toda a transação financeira no app OMO Lavanderia™. “Sabemos que os consumidores estão muito conectados digitalmente e trazer um app que facilita a vida das pessoas reforça o quanto estamos engajados em oferecer o melhor. Além disso, possuímos uma tecnologia superior de produtos profissionais para a lavagem e remoção de manchas, o que garante ainda mais cuidado e durabilidade para as roupas.”, complementa Campanella.

Todas as lojas usam produtos OMO e COMFORT, com linhas profissionais que foram desenvolvidas a partir do estudo de tecidos e manchas, especificamente para uso em lavadoras profissionais, com performance superior no cuidado com as peças.

A rede OMO Lavanderia™ completa o hub de serviços da marca, que já contava com OMO Passa Fácil™, de passadoria, e OMO Lavanderia Compartilhada™, com espaços em condomínios. Um ecossistema inovador que oferece todas as soluções para o cuidado completo da roupa na palma da mão.

Modelo de Franquias

OMO Lavanderia™ marca a grande entrada da Unilever no mercado de serviços com a aquisição das operações do Grupo Acerte, uma rede de franquias de sucesso, premiada no mercado de limpeza e conservação, com mais de 20 anos de atuação e forte presença nacional.

O objetivo da marca é investir em tecnologia para revolucionar o contato com os clientes e o serviço de cuidados com as roupas, com a ambição se tornar a maior e melhor rede de lavanderias do Brasil nos próximos 5 anos. A nova rede conta com modelos de franquias variados para atrair parceiros de negócios de diferentes perfis de investimento.

“Nós somos experts no cuidado com a roupa e estamos oferecendo uma opção de parceria para aqueles que estão em busca de investir em uma franquia bem estruturada que disponibiliza um serviço completo e relevante para os clientes. Dentro de um momento desafiador para o mercado e para a economia, a novidade oferece uma opção consolidada para quem quer investir em uma franquia, oferecendo soluções inovadoras para os clientes”, finaliza Campanella.

Por Imprensa Mercado & Consumo -23 de junho de 2020 – https://www.mercadoeconsumo.com.br/2020/06/23/omo-lanca-rede-completa-de-lavanderias-para-os-brasileiros

O varejo de serviços deixa de ser coadjuvante nos shopping centers

Antes confinados a áreas específicas, o varejo de serviços começa a avançar nos corredores dos shoppings e aumentar sua participação no mix. Algumas redes de franquias e de varejo pegaram o boom deste fenômeno no Brasil e tiveram terreno fértil para crescer nestes centros comerciais.

De acordo com a Associação Brasileira de Shopping Centers (ABRASCE), em 2017, o segmento de conveniência e serviços obteve um incremento de mais de 15%, comprovando a preferência dos clientes por um espaço mais completo e que facilite as necessidades diárias. Redes de serviços de beleza e estética, academias de ginástica, laboratórios clínicos, clínicas médicas e até odontológicas começam a ter participação que beira 25% do mix.

Em viés de alta, este percentual tende a crescer cada vez mais nos próximos anos que, acompanhado pelo segmento de foodservice, juntos já chegam em alguns shoppings a ultrapassar 50% do mix. Confira alguns exemplos de redes de serviços:

– A rede de clínicas de depilação Espaçolaser teve crescimento vertiginoso nos últimos anos. Em 2015, a empresa contava com 33 lojas e 300 funcionários em todo o Brasil. Em 2018, fechou o ano com 400 unidades abertas em todo o Brasil, sendo 78% delas em shopping centers. Nesses três últimos anos, foram investidos R$ 230 milhões. Deste total, 100 lojas são próprias, 91 mistas – com sócios que possuem 49% da operação – e o restante é de franqueados. Os planos de expansão da rede, que tem um faturamento anual de R$ 800 milhões, preveem a abertura de 800 unidades no Brasil e na América Latina, o que fará a companhia dobrar o faturamento. A expansão internacional começou pela Argentina, com uma loja inaugurada em setembro do ano passado e seguirá para Paraguai, Uruguai, Chile e Colômbia.

– Outro fenômeno de crescimento é o Grupo Sobrancelhas Design, rede que iniciou e popularizou este segmento especializado no serviço de tratamento e embelezamento para sobrancelhas. Um negócio que, em seis anos, se multiplicou e hoje já conta com 420 franquias, incluindo unidades nos Estados Unidos, Guatemala e, em breve, em Portugal. Nos próximos cinco anos, a meta é chegar a 800 lojas em todos os continentes. A maior parte das unidades são localizadas na rua, mas parte estratégica da sua expansão prevê abertura de lojas em todos os shoppings do país.

– Na área de saúde, as redes de clínicas de consultas populares, que se pulverizaram em diversas redes regionais se espalharam por praticamente todos os shopping centers brasileiros. A rede paulista Dr. Consulta foi a pioneira do setor e hoje conta com 56 clínicas abertas, muitas em shoppings e pretende encerrar o ano com 79 unidades abertas nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

– O Shopping Eldorado, na capital paulista, um dos primeiros shoppings a apostar em varejo de serviços no Brasil, abriga há algum tempo uma filial da Clínica CEMA, centros médicos do Hospital CEMA, referência no tratamento de olhos, ouvidos, nariz e garganta. Este, por sua vez, convive muito bem em shopping centers. Das suas 10 unidades, 9 estão localizadas nestes centros. O mesmo Eldorado incorporou no final do ano passado uma clínica pioneira. Trata-se da startup brasileira SouSmile. A clínica propõe um modelo mais prático e barato para clarear os dentes ou usar aparelhos alinhadores, aqueles modelos transparentes que encaixam na arcada dentária.

– Recentemente os shoppings Ibirapuera, Morumbi e Vila Olímpia, em São Paulo, receberam as filiais das Clínicas Seven, especializada em emagrecimento. O método “Metabolic Seven”, criado pelo médico Thiago Ferreira Lima faz sucesso entre blogueiras e influenciadoras digitais conhecidas do público adolescente e adulto.

À primeira vista soa insólito fazer exames, arrumar a sobrancelha, se depilar, corrigir os dentes ou mesmo realizar um programa de emagrecimento dentro de um shopping center. Mas considerando cada vez mais o trânsito caótico, o corre-corre diário e o excesso de compromissos, acaba sobrando muito pouco tempo para fazer tudo que é preciso. Se puder resolver tudo isto num único lugar, tanto melhor. É a hiper conveniência!

Fundadora da Sóbrancelhas investe em cuticularia e cria rede Beryllos

Nova rede de beleza para as unhas abre mão do alicate e aposta em mini esmaltes com apenas 4 ml para evitar possível contaminações. Franquia está disponível em dois formatos

Por Roberta Moraes | 18/07/2016

Chega ao mercado a rede de franquias Beryllos, que aposta em técnica inovadora de cuidado com as unhas sem o uso de alicates. Criado pela empreendedora Luzia Costa, fundadora da rede Sóbrancelhas, a marca traz um novo conceito para o setor de beleza ao utilizar mini esmaltes com 4 ml, que afasta qualquer possibilidade de contaminação e a cliente pode levar a embalagem para casa. As cutículas são afastadas com a ponta diamantada odontológica adaptada. A nova empresa carrega a assinatura “Suas mãos tratadas como joia”, em referência ao nome que faz relação com pedras preciosas.

Lançada em julho, a primeira unidade da marca está no Taubaté Shopping, no interior de São Paulo. O objetivo da empreendedora é, ao longo do tempo, estar presente em todos os Estados brasileiros, assim como ela fez com a Sóbrancelhas, marca que prevê atingir 300 unidades até o fim deste ano. A expansão da empresa também se dará por meio do sistema de franquias.

A marca oferece dois modelos de negócio: loja em shopping center ou quiosque. Um dos principais diferenciais é o formato das lojas, cuja arquitetura representa um vidro de esmalte. Na operação por meio de quiosque, o investimento inicial é de R$ 142,3 mil. Já o aporte para abrir a unidade em um shopping center é de R$ 230,1 mil. Ambos os valores incluem capital de giro, taxa de franquia, estoque inicial de produtos, além de treinamentos, entre outros benefícios ao franqueado. Há perspectiva de retorno do investimento no prazo de 12 a 18 meses.

Beryllos, Sóbrancelhas, Beleza, Franquia

Beryllos, Sóbrancelhas, Beleza, Franquia

Beryllos, Sóbrancelhas, Beleza, Franquia

Beryllos, Sóbrancelhas, Beleza, Franquia

https://www.mundodomarketing.com.br/ultimas-noticias/36524/fundadora-da-sobrancelhas-investe-em-cuticularia-e-cria-rede-beryllos.html

Casa Pilão: de produto a serviço e franquia

Comer fora de casa é um dos novos hábitos do consumidor brasileiro e isso vai muito além do almoço ou saídas de final de semana. O café da manhã e pequenos lanches entre as refeições já fazem parte da rotina de gastos fora de casa. Pensando nesse público, a Pilão abriu em 2010 sua primeira unidade do projeto Casa Pilão – uma cafeteria que busca levar aconchego e experiência ao consumidor e que agora se aventura no mundo das franquias.

O espaço possui tons claros, valorizados por detalhes em vermelho que lembram os pacotes dos grão da marca. Para acomodar os clientes, há um balcão e confortáveis poltronas e mesas de madeira, além de um cardápio típico brasileiro e opções que incluem os itens do portfólio da empresa. A aposta nesse nicho reflete um comportamento já existente em outros países e ainda em processo de difusão no Brasil: o movimento de nomes consolidados de produtos para o serviço.

A estratégia da Pilão é levar a marca a ser lembrada em outros lugares onde o consumidor está presente. “Queremos desenvolver a marca não apenas no varejo com nossos conhecidos cafés, mas fora de casa em um momento de lazer e descanso. Não queremos concorrer com nenhuma loja. O que buscamos mesmo é criar uma lembrança na mente do consumidor, dar uma experiência diferenciada e de valor. A loja ajuda em termos de imagem, o produto tem mais força e visibilidade”, conta Ricardo Souza, Diretor de Marketing da Casa Pilão, em entrevista ao Mundo do Marketing.

Novos formatos
Acostumada a vender produtos desde 1978, a empresa saiu da zona de conforto ao observar o sucesso da grife Café do Ponto, também pertencente a Sara Lee, mesmo grupo que administra a Pilão. “A área de food service está crescendo muito e vimos que tínhamos uma boa variedade de itens no portfólio que pudesse ser levada para as ruas, afinal fazemos desde o expresso até o coado em diferentes formas. Só precisávamos estudar o mercado para saber fazer bem enquanto varejo”, conta Ricardo.

Dentre as preparações para transformar uma marca de produto em serviço, a companhia contratou uma consultoria para que pudesse alinhar o propósito do negócio com o que já fazem nas gôndolas. Uma equipe de baristas também foi convocada para elaborar o cardápio, que além de preparos feitos à base do grão – diferentes blends, da casa e regionais, coado no papel e filtro de papel – inclui comidas como tapioca, pão de queijo e demais salgados mais consumidos por brasileiros.

O diferencial das unidades, no entanto, está em vender lançamentos em primeira mão nesses pontos de venda. “Fornecemos na Casa Pilão as cápsulas compatíveis com Nespresso, que lançamos em julho e somente agora está chegando no varejo. Essa foi uma forma encontrada de criar um novo tipo de valor e ganhar o interesse desse consumidor que está cada vez mais exigente”, afirma o Diretor de Marketing da Casa Pilão.

A estratégia adotada é um dos caminhos para o sucesso do negócio, uma vez que a exclusividade cria a diferenciação entre os demais. “Cafeterias existem em qualquer lugar, é um local que o brasileiro se acostumou a ir. Criar uma vantagem entre os demais, oferecendo um produto que só será encontrado dentro de um determinado ponto de venda é fundamental. A marca pode continuar a fazer isso com todos os seus lançamentos e mesmo utilizando a loja como teste para novidades”, analisa Roberto Kanter, Diretor Executivo do Canal Vertical e Professor dos MBAs da Fundação Getúlio Vargas, em entrevista ao Mundo do Marketing.

Franquias
Do mesmo modo, a expansão das lojas deve ser feita sempre atenta aos mercados que mais possuem abertura com esse nicho. A primeira experiência da Pilão em serviços foi com uma loja conceito no shopping Morumbi e hoje a empresa conta com 17 unidades em diversas regiões do Brasil, incluindo Centro-Oeste e Nordeste. O projeto de expansão conta com um programa de franquias feito em parceria com a Francap.

A proposta é de um modelo saudável financeiramente para o empreendedor, em que o investimento não é alto. “Ser atrativo enquanto negócio é muito importante. A Pilão já possui um nome reconhecido e que pode transmitir confiança tanto por quem quer ser um empresário quanto pelos clientes. Se a marca souber aproveitar bem a expertise que tem em produto nessas lojas, tem tudo para ser um exemplo global de case de produtos que se transformam em serviço”, conta Roberto Kanter.

Dentre os desafios ao se lançar nessa seara está o caminho oposto a muitas empresas. A marca quer buscar pontos alternativos a shoppings e se consolidar em lojas de rua. “Hoje há uma saturação nesses locais fechados. É preciso se manter rentável e nos centros comerciais os custos estão cada vez maiores, além da alta competitividade”, conta o Diretor de Marketing da Casa Pilão.

Ações de Marketing
Como forma de ganhar o interesse dos consumidores e fidelizá-los no local, a fabricante de cafés busca em suas estratégias e campanhas diferenciar quanto ao posicionamento e visual das demais concorrentes. Além disso, a Pilão quer mostrar algo mais casual e despojado, para o seu público que compreende homens e mulheres que trabalham, na faixa etária de 25 aos 50 anos.

Para chegar até eles são utilizadas ações de relações públicas, promoções com drinks, eventos sazonais, como lançamentos de inverno, além de participação nos ambientes digital e off-line. A presença em feiras também é um modo de ser visto e conseguir o olhar do empresário tanto como modelo de negócio como trazê-lo para ser cliente. “Muitos executivos frequentam nossas lojas. Nosso grande momento é o pós-almoço, em que eles se reúnem e descansam. Por isso procuramos melhorar o ambiente para que eles possam utilizar o espaço para reuniões e resolver questões de trabalho”, conta Ricardo.

Diferente do perfil do Café do Ponto, que é mais A/B, a Casa Pilão atinge a classe C. Mesmo com a crise econômica brasileira atingindo diretamente essa parcela da população, a empresa não sentiu uma queda nas vendas. “A procura continua a mesma, temos preços acessíveis e um formato atraente. Construímos em nossas ações uma estratégia que apresenta valor e faz com que o cliente se sinta em casa. O café não deixou de ser consumido em casa e também não vai deixar de ser consumido na rua”, afirma Ricardo Souza.

Por Priscilla Oliveira | 30/09/2015

http://www.mundodomarketing.com.br/cases/34629/casa-pilao-de-produto-a-servico-e-franquia.html

Hamburguerias: a febre vai além da moda. Entenda por quê

Tradicional lanche se reinventa e aparece aliado a diversas tendências do mercado, como food trucks e premiumização, dando origem a empreendimentos especializados em todo o Brasil

Impulsionadas pelo crescimento de estabelecimentos especializados em um só produto, as hamburguerias vivem um momento de acelerada expansão. O segmento registrou alta de 575% na última década, em São Paulo, segundo levantamento da consultoria Instituto Gastronomia, que excluiu padarias e redes com cinco ou mais unidades do levantamento. Depois da febre do temaki, do frozen iogurte, da paleta, do cupcake e do brigadeiro gourmet, foi a vez dos tradicionais sanduíches de pão e carne ganharemm versões premiumizadas e caírem no gosto dos consumidores. Com um toque artesanal e ingredientes mais rebuscados, o sucesso desses estabelecimentos se devem também a outras tendências, que dão ainda mais fôlego a esse movimento.

Presentes no país desde a década de 1950, essas lojas sofreram diversos tipos de variação, indo desde os fast-foods até as lojas de bairro. Para se reinventar, muitos empreendedores estão apostando na segmentação para oferecer um produto diferenciado e com maior valor agregado. No último ano, o hambúrguer ganhou aspecto mais gourmet, com a inclusão de ingredientes requintados como trufas, diferentes tipos de pães, queijos e molhos especiais, além do preparo da proteína, que passou a contar com cortes de raças de bovinos que produzem carne com qualidade superior.

Essa mudança é retrato da própria visão do empreendedor de se adaptar ao mercado e sobreviver em meio à concorrência. “Não é de hoje que vemos hamburguerias. São Paulo mesmo é o reduto desse alimento. O que está acontecendo é que transformaram o velho sanduíche em algo mais imponente e relacionado aos costumes locais ou de época. Temos a questão de saudabilidade, por exemplo, e as pessoas justificam comer porque a carne é menos gordurosa e processada. Além disso, tem a questão das pessoas estarem se alimentando mais fora de casa”, afirma Antônio Carlos Morim, Coordenador do MBA da ESPM, em entrevista ao Mundo do Marketing.

Hábitos dos consumidores
As refeições nas ruas, inclusive, têm registrado crescimento médio anual de 9% nos últimos anos, como mostra o estudo publicado no Mundo do Marketing Inteligência que traz desafios, tendências e oportunidades no food service. Mesmo com os cortes no orçamento familiar, devido à crise no país, a alimentação ainda é um dos poucos setores que continuam a vender. “Houve uma redução, mas aquelas empresas que se localizam em regiões em que há um fluxo maior de consumidores tendem a manter sua lucratividade. Se elas possuem esse diferencial do hambúrguer, que está em alta, o sucesso é grande”, conta Morim.

Um exemplo disso é o Beco do Hambúrguer, localizado no Centro do Rio de Janeiro, em meio ao fluxo comercial da cidade. Inaugurado em junho de 2014, o espaço está sempre cheio de clientes em busca do sanduíche gourmet que produzem. A carne Angus e a maionese exclusiva são alguns dos itens que fazem com que o local ganhe visitantes fiéis. O diferencial, no entanto, está em esse ser um restaurante atípico na área – que reúne, em sua maioria, self-services ou estabelecimentos com almoço executivo. A escolha do ponto, em um beco, em nada atrapalhou a visibilidade e foi o boca a boca que construiu a fama do local.

Para alcançar o crescimento e atrair os consumidores, o pensamento estratégico precisa ir além do cardápio e envolver a localização da loja. “Os food trucks de hambúrguer, por exemplo, estão fazendo sucesso porque são uma novidade e todo mundo quer experimentar. Além disso, a maioria dos locais que recebe esse tipo de evento está em shoppings ou grandes espaços ao ar livre, onde há intenso fluxo de pessoas. No Rio de Janeiro, já há um número considerável de abertura dessas lojas, o que torna difícil você ser exclusivo em uma região. No Nordeste, no entanto, ainda são poucos os estabelecimentos, o que aumenta as oportunidades de sucesso”, pondera Morim.

Brother’s BurguerNo centro das atenções
Ter expertise em negócios e oferecer sanduíches em um local que é tradicionalmente conhecido pela mídia foi a saída encontrada pelo Brother’s Burguer ao abrir sua primeira unidade. O espaço, no Shopping da Gávea, Zona Sul do Rio de Janeiro, é frequentado por artistas e celebridades e constantemente atraído pela imprensa. Os clientes, por sua vez, possuem alta influência em suas redes sociais. Uma postagem compartilhada por eles gera mais interesse em outros consumidores.

A imagem de local exclusivo, porém, não é trabalhada. Tanto é que uma filial em um shopping na Tijuca, Zona Norte, já está prestes a abrir as portas e outras estão previstas para o futuro. “Temos um produto interessante, que agrada a quem experimenta. Somos acessíveis e não seguimos a linha premium. Buscamos inovações no cardápio para sair da mesmice e gerar interesse no cliente em voltar ao restaurante. Corremos atrás de inspirações e não ficamos parados. Sabemos que o consumidor quer ser conquistado”, conta Guilherme Romano, sócio do Brother’s Burguer, em entrevista ao Mundo do Marketing.

Para fidelizar os clientes, a empresa desenvolveu um aplicativo que soma pontos para serem trocados por hambúrguer – a cada 10 sanduíches consumidos, ganha-se um. O objetivo na iniciativa é ter os dados das pessoas para então poder elaborar futuras ações, como e-mail Marketing, brindes especiais por alguma data comemorativa ou envio de informativos sobre a loja.

A boa administração e maturidade do restaurante em pouco tempo atraiu o interesse de investidores e jovens empreendedores, o que acaba sendo comum nesses negócios que caem nas graças do mercado. “Atualmente, não temos interesse em abrir franquias, queremos construir lojas próprias aqui na cidade e nos estruturarmos. Desde que inauguramos, vi nascer muitos outros pontos do mesmo segmento. Vamos manter a solidez antes de expandir para outras localidades do Brasil”, afirma Romano.

Hareburger

Adaptação de mercado
Com uma visão diferente, o Hareburger optou por trabalhar com franqueados para expandir os negócios. No ramo desde 2006, quando o criador Rafael Krás passou a vender hambúrgueres vegetarianos na praia, a empresa deixou de lado as areias para abrir a primeira loja em Ipanema. Essa unidade original já não existe mais. Ela foi substituída por um ponto no Centro da capital carioca. Hoje em dia, a Zona Sul mantém uma loja, que é a primeira franquia da marca.

Entrar no ramo de hamburguerias oferecendo uma opção diferente da carne vermelha trouxe não apenas visibilidade e lucro, como também expertise no segmento de saudabilidade. “Desenvolvemos seis sabores diferentes sem conter proteína animal e isso atrai pessoas que nem mesmo são vegetarianas. Algumas querem apenas uma refeição mais saudável, algo que não dê culpa ao comer fora de casa”, conta Marco Leite, CEO do Hareburger, em entrevista ao Mundo do Marketing.

A empresa pensa grande e já almeja encerrar 2016 com mais franquias no Rio de Janeiro e chegar a São Paulo. “Não temos medo de ingressar em um mercado com diversas opções. Entendemos que nosso posicionamento é diferente dos concorrentes. Não usamos carne e estamos longe do perfil gourmet, somos despojados e usamos uma linguagem divertida. Não quero que meu produto seja premium por preço, meu objetivo é atingir o maior número de pessoas. Somos imunes ao raio gourmetizador. Buscamos vender a um preço justo. Nesse ponto, há espaço no mercado”, afirma Marco.

Zacks

Futuro
Além das vendas dos hambúrgueres nos restaurantes, tanto a Hareburger quanto a Brother’s Burger estão entrando no ramo de catering, com atendimento em eventos. A saída é uma forma de manter as vendas e dar mais um gás ao empreendimento. “Estamos criando uma equipe especial para cuidar dessa parte, porque vem ganhando muita procura. As pessoas querem ter o hambúrguer em suas festas e buscam opções saborosas. No nosso caso, vendemos a versão baby, que é mais fácil de manusear e comer em pé, enquanto os participantes conversam”, conta o sócio do Brother’s Burger.

Oferecer alternativas para a sobrevivência da empresa e possuir uma visão a longo prazo permite que esses novos restaurantes se mantenham lado a lado com grandes redes. O Hareburger já começa a implantar o seu próprio food truck para circular pela cidade. Já a hamburgueria Zacks, até então conhecida por suas releituras de burgers em receitas incrementadas, espalhadas em 10 lojas entre Rio de Janeiro, Brasília e Fortaleza, decidiu expandir seus horizontes e dar início a uma nova marca: o Zacks Hot Dogs & Shakes.

Esse modelo de negócio viabiliza a entrada da empresa em pequenos espaços com alto fluxo de pessoas, como corredores de shoppings, centros comerciais, estações de metrô, escolas e universidades. Uma das principais vantagens é a simplicidade na operação e o baixo número de funcionários, além do custo operacional. A expansão será via franquias.

Essa alternativa também deve ser encarada pelas redes de fast-food, muitas vezes conhecidas pelo tradicional pão com carne. “Os consumidores estão mais exigentes e podemos ver isso na questão de sabor, saudabilidade, variedade, ponto de venda e apresentação. Haverá uma hora que, para não perder cliente, elas precisarão investir em carnes nobres e mudanças nos pratos. Reinventar-se é preciso. O The Fifties é conhecido por seu hambúrguer, mas também vende refeições e outros lanches. É preciso pensar que o hambúrguer já tem tradição. O algo mais a oferecer é que dará destaque ao seu negócio”, finaliza Antônio Carlos Morim.

Por Priscilla Oliveira | 24/08/2015

http://www.mundodomarketing.com.br/reportagens/mercado/34308/hamburguerias-a-febre-vai-alem-da-moda.html