Arquivo da categoria: Real Time de Marketing

Facebook terá ferramenta “Karaokê” para transmissões ao vivo

cantar

O Facebook está cada vez mais próximo de possuir todas as ferramentas possíveis de publicação. Seguindo este pensamento um novo recurso chega a plataforma para todos aqueles que adoram cantar. O anúncio feito terça-feira (5) declara que transmissões ao vivo agora terão a opção “karaokê” com direito a máscaras e filtros de edição.

Para utilizar o recurso basta clicar em “Lip Sync Live” e escolher a música desejada.  Em seguida, o usuário poderá personalizar a transmissão. Amigos e conhecidos poderão acompanhar a cantoria e comentar a performance em tempo real. De acordo com a divulgação da própria empresa, o programa permite sincronizar as transmissões com músicas como “Welcome To The Jungle”, de Guns N’ Roses, “Havana”, de Camila Cabello e outros.

A atualização ainda não está disponível para todos os usuários.

http://adnews.com.br/social-media/facebook-tera-ferramenta-karaoke-para-transmissoes-ao-vivo.html

Twitter terá canal de notícias 24 horas por dia

abre tictoc

O Twitter se uniu a Bloomberg para anunciar o lançamento de uma rede de notícias livestreamed exclusiva. Pelo canal serão veiculadas notícias 24 horas por dia, 7 dias por semana. Os planos indicam que o “TicToc by Bloomberg” irá entrar ao vivo na próxima segunda-feira, 18 de dezembro, mas ele já está disponível neste link. Inclusive, em um dos tuítes deixados, a marca relatou ser a “primeira e única rede de notícias global em transmissão ao vivo no Twitter, 24/7”.

Entrevistado pelo Wall Street Journal, Justin Smith, diretor executivo de mídia do Bloomberg, declarou que o serviço “terá foco nas notícias mais importantes para uma audiência inteligente em todo o mundo”.

Mas engana-se quem possa imaginar que se trata de uma replicação das notícias operadas no canal de TV da plataforma de notícias e informações financeiras. O canal será composto de relatórios de notícias ao vivo dos departamentos de notícias de todo o mundo, também contará com um mix de vídeo com curadoria e verificação publicado no Twitter pelos usuários da plataforma de redes sociais, tudo com curadoria e verificação da Bloomberg.

A intenção, conforme Anthony Noto, diretor financeiro e operacional do Twitter é alcançar aqueles que não pagam por TV: “Nós realmente pensamos que podemos chegar ao público que não está pagando pela TV e achamos que a Bloomberg é a parceira perfeita para nós começarmos”.

Conforme defendido por Smith, o hábito que muitos usuários do Twitter tem de assistir a um evento ao vivo na TV, ao mesmo tempo que publicam comentários no Twitter em seus telefones celulares, fez um argumento forte para tentar combinar os dois: “Os espectadores já abraçaram uma experiência multitela com eventos ao vivo e casar com essas experiências parecia ser uma coisa muito poderosa para oferecer aos consumidores”, disse ele.

Para disponibilizar este serviço, uma equipe de cerca de 50 repórteres, editores, produtores e analistas de mídia social será supervisionada por M. Scott Havens, chefe global de digital da Bloomberg e Mindy Massucci, líder editorial da TicToc pela Bloomberg.

http://adnews.com.br/negocios/twitter-tera-canal-de-noticias-24-horas-por-dia-7-dias-por-semana.html

É oficial: agora o Twitter permite 280 caracteres por Tweet

Patão

Após um teste realizado com um número restrito de usuários para expandir o limite de 240 caracteres por Tweet (veja aqui), , o Twitter anuncia nesta semana (7) que a nova quantidade máxima de 280 caracteres passa a ser válida para todos mundialmente à exceção dos que postam em japonês, coreano e chinês, devido à maior facilidade de se expressar em menos espaço nesses idiomas.

O objetivo do teste, lançado em setembro, foi permitir que usuários se manifestassem de maneira mais simples em um Tweet, mantendo a velocidade e a brevidade para se atualizar sobre o que está acontecendo no mundo. A decisão de ampliar o limite para 280 caracteres para todos os usuários foi tomada a partir da avaliação dos resultados do teste.

O Twitter é sobre brevidade, o que faz da plataforma um dos melhores lugares para se atualizar sobre os acontecimentos globais. Os Tweets vão direto ao ponto, com as informações que mais interessam. Esse é o DNA da plataforma e, segundo ela, nunca vai mudar. O Twitter seguirá estudando dados e ouvindo seus usuários para entender como pode melhorar.

http://adnews.com.br/social-media/e-oficial-agora-o-twitter-permite-280-caracteres-por-tweet.html

Agora já é possível fazer Live com um amigo no Instagram

Instagram

Desde terça-feira (24), o Instagram disponibiliza o recurso que permite aos usuários fazerem transmissões ao vivo acompanhados de um amigo. Mais cedo neste ano, em agosto, a rede já havia iniciado testes com essa funcionalidade.

Os vídeos ao vivo permitem que as pessoas compartilhem momentos enquanto acontecem, mas muitas pessoas da comunidade defendiam que fazer um Live sozinho era intimidador às vezes. Agora, a plataforma facilita as transmissões para os tímidos e permite convidar amigos e utilizar as novas máscaras disponíveis para a atividade.

http://adnews.com.br/internet/agora-ja-e-possivel-fazer-live-com-um-amigo-no-instagram.html

WhatsApp finalmente libera opção de apagar mensagens enviadas

whatsapp

Quem nunca se arrependeu de mandar determinada mensagem no WhatsApp que atire a primeira pedra. Os desatentos que mandam mensagens erradas ou para usuários errados também ficarão felizes com esta novidade. Bem, os que tem a versão atualizada do app em suas versões para iOS, Android e Windows Phone, pelo menos.

É que desde ontem, a plataforma começou a liberar a possibilidade de excluir definitivamente mensagens em conversas particulares e em grupos, mas isso só é possível caso ambos, você e seu(s) destinatário(s) tenha(m) a versão mais recente do app instalado. Chamada “Excluir para Todos”, a ferramenta tem um “prazo de validade” de sete minutos para que a mensagem (imagem, vídeo, mensagem de voz) possa ser apagada, depois deste tempo não é possível apagar a mensagem para todos. Após a exclusão, a plataforma exibe o comunicado de que a mensagem foi, de fato, apagada.

Em seu endereço de FAQ, a empresa liberou o passo-a-passo:

  • Abra o WhatsApp e vá até a conversa que deseja apagar.
  • Toque e segure a mensagem. Então selecione “Apagar” no menu. É possível apagar mais de uma mensagem por vez.
  • Então toque em “Apagar para Todos”

Vai funcionar mais ou menos assim: Quando você exclui uma mensagem para todos, seu WhatsApp enviava, na verdade, uma “cópia falsa” dela. Assim que o destinatário receber sua cópia, seu dispositivo não mostrará a notificação e não a salvará no histórico de bate-papo, mas verificará se há a ID da mensagem no banco de dados: se encontra-la, a mensagem será devolvida corretamente (se os destinatários estiverem usando a versão mais recente do WhatsApp).

Dois lembretes importantes: É possível que seu contato veja sua mensagem antes que você a apague ou se o processo não for realizado com sucesso. E você não receberá um aviso caso o processo de apagar para todos não tenha sido realizado com sucesso.

As informações são do FAC do WhatsApp.

http://adnews.com.br/tecnologia/whatsapp-finalmente-libera-opcao-de-apagar-mensagens-enviadas.html

Twitter lança pacotes de conteúdo para criadores digitais

pacote tt

O Twitter lança hoje pacotes especiais de conteúdo feito por criadores digitais para que anunciantes possam aproveitar, de forma fácil e rápida, o melhor da plataforma com ativações voltadas a Black Friday, Natal e verão. Ao todo são  14 soluções idealizadas por Niche, a comunidade do Twitter que reúne criadores digitais e gerencia os projetos que os envolvem, incluindo vídeos, séries, fotos, cobertura de ativações de marcas e Tweetaços com influenciadores. Dependendo da demanda do anunciante, também é possível ajustar os pacotes com ideias customizadas.

Thaiza Akemi, líder de Niche na América Latina falou sobre a plataforma: “Niche possibilita às marcas passarem suas mensagens ao consumidor de forma natural, com o estilo particular de cada criador de conteúdo”. E adicionou: “A antecipação dos pacotes especiais para as datas de fim de ano facilita muito o planejamento dos anunciantes, assim como a gestão dos projetos com as agências, marcas e produtoras”, acrescenta. Vale ressaltar que todo conteúdo produzido por Niche pertence à marca e pode ser utilizado em qualquer plataforma além do Twitter.

Em um dos pacotes oferecidos, por exemplo, Niche convida um grupo de fotógrafos para uma viagem por uma praia do litoral brasileiro para que criem conteúdos envolvendo o produto do cliente em situações de verão. Outra proposta prevê a participação um criador digital relacionado a gastronomia na produção de receitas especiais com produtos do anunciante. E outra, mais voltada ao Natal, envolve vídeos com casais e famílias se presenteando com produtos escolhidos pela marca, destacando não apenas os itens, mas as reações das pessoas.

http://adnews.com.br/social-media/twitter-lanca-pacotes-de-conteudo-de-criadores-digitais-para-black-friday-natal-e-verao.html

Facebook lança plataforma para assistir canais na rede social

10 de Agosto de 2017 14h – Atualizado às 14:27

as

Assistir a vídeos no Facebook conecta pessoas, inicia conversas e cria comunidades. Nesta quarta-feira (09) a empresa apresentou o Watch, uma nova plataforma para programas em vídeo na rede social.

O Watch estará disponível em dispositivos móveis, desktop e laptop, assim como nos aplicativos de TV do Facebook. Os programas trazem episódios – ao vivo ou gravados – e seguem um tema ou enredo. O Watch será personalizado para ajudar na descoberta de novos programas, organizados com base no que seus amigos e comunidades estão assistindo. A plataforma também traz uma Watchlist para que o usuário nunca perca os últimos episódios.

“Isso tem tudo para ser um canal muito promissor para atrair produtores de conteúdos originais a publicarem seus vídeos, não apenas no YouTube ou em outras plataformas, mas também nessa ferramenta  do Facebook, que pode oferecer a divisão de monetização que fica com 55% com o produtor de conteúdo e 45% com o Facebook”, explicou Fábio Prado Lima, diretor da AdResults e professor do Face Ads Descomplicado.

Inicialmente o Watch estará disponível a um grupo limitado de pessoas nos EUA e a companhia de Mark Zuckerberg pretende levar a experiência a mais pessoas em breve.

http://adnews.com.br/social-media/facebook-lanca-plataforma-para-assistir-canais-na-rede-social.html

Anúncios entre vídeos no Facebook podem prejudicar sua marca

27 de Junho de 2017  

videos

Há alguns dias, um amigo meu no Facebook fez um post dizendo que iria parar de curtir determinada marca. O motivo? Um comercial dela interrompeu o vídeo que ele estava assistindo.

O novo formato vem sendo testado desde janeiro e é uma saída para tirar os grandes produtores do YouTube. Neste caso, a verba deste anúncio é dividida entre produtor (55%) e, claro, o Facebook (45%).

No entanto, o formato acaba sendo um retrocesso. Não para o Facebook, mas sim para as marcas. E isso pode se tornar um grande vilão no Brasil.

O atraso do mercado digital no Brasil é culpa de todos: agências, que preferem ganhar 20% das grandes mídias, e dos clientes que ainda menosprezam as novas mídias. E este será um passo falso rumo ao entendimento do mercado digital. É apenas um Ad Break, adaptação dos comerciais de TV para o mundo online.

O público está fugindo dos anúncios

As redes sociais nasceram para conectar pessoas, as marcas são secundárias e devem trazer entretenimento para o canal. Se as pessoas estão fugindo de comerciais, parece não ser inteligente investir neste novo formato. Vídeos mais longos, por exemplo, podem receber até três Ad Breaks de 20 segundos, são pausas maiores do que um filme da sessão da tarde.

Se você ainda não está confiante, saiba que até mesmo as interações de imagens bonitinhas são praticamente nulas:

A página do Toddynho possui 1.3 milhões de fãs. No entanto, posts como esse recebem apenas 34 interações, algo como 0,002%. O motivo? Elas interrompem a navegação durante a linha do tempo, assim como os vídeos.

E não para por ai

Os anúncios de vídeo vão começar a aparecer agora entre as transmissões ao vivo também, o que pode até mesmo desmotivar a continuidade do telespectador.

O futuro no presente

O digital traz mais resultados com conteúdo próprio. Marcas como Coca-Cola, Netflix e Heineken possui até mesmo o departamento de Real Time Marketing, monitorando o que está acontecendo em tempo real na internet e se aproveitar disso para criar conteúdos. Desta maneira, ao invés de utilizar a autoridade de outros canais, você constrói a sua própria imagem com investimento similar.

E agora, você ainda está a fim de dar um passo para trás?

http://adnews.com.br/adarticles/anuncios-entre-videos-no-facebook-pode-prejudicar-sua-marca.html

Anúncios entre vídeos no Facebook podem prejudicar sua marca

27 de Junho de 2017  

videos

Há alguns dias, um amigo meu no Facebook fez um post dizendo que iria parar de curtir determinada marca. O motivo? Um comercial dela interrompeu o vídeo que ele estava assistindo.

O novo formato vem sendo testado desde janeiro e é uma saída para tirar os grandes produtores do YouTube. Neste caso, a verba deste anúncio é dividida entre produtor (55%) e, claro, o Facebook (45%).

No entanto, o formato acaba sendo um retrocesso. Não para o Facebook, mas sim para as marcas. E isso pode se tornar um grande vilão no Brasil.

O atraso do mercado digital no Brasil é culpa de todos: agências, que preferem ganhar 20% das grandes mídias, e dos clientes que ainda menosprezam as novas mídias. E este será um passo falso rumo ao entendimento do mercado digital. É apenas um Ad Break, adaptação dos comerciais de TV para o mundo online.

O público está fugindo dos anúncios

As redes sociais nasceram para conectar pessoas, as marcas são secundárias e devem trazer entretenimento para o canal. Se as pessoas estão fugindo de comerciais, parece não ser inteligente investir neste novo formato. Vídeos mais longos, por exemplo, podem receber até três Ad Breaks de 20 segundos, são pausas maiores do que um filme da sessão da tarde.

Se você ainda não está confiante, saiba que até mesmo as interações de imagens bonitinhas são praticamente nulas:

A página do Toddynho possui 1.3 milhões de fãs. No entanto, posts como esse recebem apenas 34 interações, algo como 0,002%. O motivo? Elas interrompem a navegação durante a linha do tempo, assim como os vídeos.

E não para por ai

Os anúncios de vídeo vão começar a aparecer agora entre as transmissões ao vivo também, o que pode até mesmo desmotivar a continuidade do telespectador.

O futuro no presente

O digital traz mais resultados com conteúdo próprio. Marcas como Coca-Cola, Netflix e Heineken possui até mesmo o departamento de Real Time Marketing, monitorando o que está acontecendo em tempo real na internet e se aproveitar disso para criar conteúdos. Desta maneira, ao invés de utilizar a autoridade de outros canais, você constrói a sua própria imagem com investimento similar.

E agora, você ainda está a fim de dar um passo para trás?

http://adnews.com.br/adarticles/anuncios-entre-videos-no-facebook-pode-prejudicar-sua-marca.html

“O real time é o território do contratempo”

19 de Outubro de 2016 09h – Atualizado ás 09:30

Se para algumas marcas investir em conteúdo já significa um passo para fora da zona de conforto, imagine então fazer isso em tempo real, interagindo com os consumidores. As últimas mudanças no mercado de comunicação, aceleradas pelas redes sociais, exigem das empresas muito mais agilidade, flexibilidade, capacidade de reação e implicam os mais diversos riscos.

Por outro lado, essa loucura do “aqui e agora” oferece uma oportunidade de ouro em tempos difíceis para capturar a audiência, que hoje tem em suas mãos a escolha de consumir mídia onde, quando e como quiser, sem a interrupção de comerciais.

E para falar deste novo e precioso mundo chamado real time marketing, conversamos com Eduardo Camargo, fundador, CEO e CCO da Mutato, agência que traz na bagagem todo o trabalho desenvolvido para a Coca-Cola durante os Jogos Olímpicos Rio 2016.

Quais são os principais desafios e oportunidades em trabalhar com conteúdo em tempo real?

O maior desafio, sempre, é cuidar de um processo muito complexo e que começa muito antes do real time, que é ter um time diverso e multifacetado que consiga atender a todas as demandas deste formato de produção de conteúdo. É preciso agilidade, capacidade de tomar decisões rápidas, olhar afiado, preparo para lidar com cliente e, em muitos casos, outras agências num só time. O objetivo é um só: tornar a marca relevante dentro daquele contexto. As oportunidades, no entanto, são muitas. As marcas cada vez mais “existem” em tempo real e constroem sua reputação por meio de conteúdo que dialogue com os interesses do seu público e que o faça querer interagir com elas.

Como as marcas e agências devem se preparar para lidar com os possíveis contratempos? O que o planejamento deve conter?

Real time é o território do contratempo. Os hits da campanha geralmente vêm dos acontecimentos não planejados ou inesperados. Uma final de futebol olímpico, uma vitória apertada no atletismo, a superação de um recorde olímpico. Então, neste contexto, contratempo é a regra – e tá tudo bem! Mas, é claro, há um alinhamento prévio – e feito ao longo de meses – que tem o cliente sempre ao nosso lado. Sempre partimos do entendimento de que tipo de conteúdo é relevante para o nosso público. A fase de “discovery” com o cliente é sempre muito intensa, buscamos o máximo de profundidade possível dentro dos desafios de comunicação da marca e do contexto. A partir disso, desenvolvemos a melhor estratégia de conteúdo, que também executamos. E aí esse planejamento é provado quando o Real Time começa: ideias fortes sem execução à altura viram conteúdos fracos, e ideias que antes pareciam menores ganham uma projeção grande num contexto inesperado. Portanto parte do desafio passa por montarmos times diversos (em todos os sentidos) e multifacetados, por colocar criação e execução sem fronteiras entre si.

Ideias fortes sem execução à altura viram conteúdos fracos, e ideias que antes pareciam menores ganham uma projeção grande num contexto inesperado.

Como funciona o processo de aprovação e alinhamento do conteúdo que será publicado? Como funcionou com a Coca-Cola nas Olimpíadas, por exemplo?

Neste caso, tínhamos uma base de conteúdos pré-aprovados e, o mais importante, estávamos num time grande, integramos uma equipe que incluía profissionais da Coca-Cola e das demais agências parceiras. Nós, então, tínhamos o cliente ao lado para discutir, definir e aprovar o que seria o conteúdo daquele dia. Além disso, com base na programação dos Jogos, já definíamos o que seria prioridade. Algumas situações são óbvias, como o final do futebol olímpico. Em 2014, durante a Copa do Mundo, criamos uma das peças mais lembradas do evento, entre todas as marcas, que foi o nó na garganta. Nos pareceu natural que, depois daquele 7×1, era preciso desatar o nó com o Ouro olímpico – e foi aí que nasceu este vídeo, com quase meio milhão de views.

Outro ponto que foi muito importante nos Jogos Olímpicos foram as ‘bottle emotions’: reações de surpresa, alegria, superação – todas expressas numa garrafa de Coca-Cola. Elas serviam para complementar a timeline com conteúdos em vídeo que dialogassem com o público da marca de forma ágil e, ao mesmo tempo, bastante relevante.

Em eventos comentados nas redes sociais, qual é o segredo para entrar nas conversas de maneira assertiva, sem interromper e aborrecer o público?

É uma combinação de fatores, que começa na formação do time da agência, que deve ser o mais diverso e multifacetado possível – e incluir pessoas que saibam o que o público da marca está consumindo, que tipo de piada vai engajá-lo, qual copy irá fisgar a atenção – sempre tão volátil – das pessoas nas redes sociais.

Além disso, é preciso um trabalho altamente estratégico que entenda a distribuição desse conteúdo. E é aí que entram parceiros de conteúdo e influenciadores. No caso de influenciadores, é preciso trazê-los para a mesa e co-criar. Eles são os maiores especialistas sobre o público que têm, e têm um papel fundamental em ajudar a traduzir as mensagens de marca em conteúdo relevante para sua base.

Num contexto em que o tempo é um limitante importantíssimo, não há como fugir de um modelo co-criativo, horizontal e 100% colaborativo

Como foi trabalhar o real time marketing da Coca-Cola durante os Jogos Olímpicos? Como a equipe se estruturou?

Foi uma experiência muito importante para nós, porque tivemos a oportunidade – e que agora estamos desenvolvendo com outros clientes – de trabalhar com times globais da Coca-Cola, uma vez que vencemos a concorrência também pelo Real Time Marketing global dos Jogos Olímpicos Rio 2016. Isso teve um impacto significativo no tamanho da nossa equipe. Como produzimos conteúdo local e global simultaneamente, praticamente dobramos os times de Criação e Produção Audiovisual envolvidas. Como somos uma agência híbrida (temos uma produtora de filmes acoplada à agência), foram muitas pessoas envolvidas no projeto. Do nosso time fixo, tivemos 12 pessoas instaladas no Rio para a operação local e mais 3 para produção global em tempo real, trabalhando 100% dedicadas ao projeto, obviamente em parceria com o cliente e outras agências parceiras.

A partir de agosto, com todo o mundo no Rio, trabalhamos em total sinergia com a Coca-Cola e as agências parceiras, a exemplo do que já tinha rolado na Copa de 2014. A Coca-Cola Brasil tem um talento especial, uma certa vocação natural para montar times inter-agência, inter-fornecedores, de forma que todos se sintam parte de um grande e único time

Um ponto super importante, que é um aspecto muito forte no dia a dia da Mutato e se torna central aqui, é que boas ideias podem vir de qualquer pessoa envolvida no processo. Alguém da equipe de atendimento, do próprio cliente, de uma agência parceira, de uma produtora associada, pode sugerir um caminho criativo que por fim engaje o público tanto quanto uma ideia vinda da Criação. Num contexto em que o tempo é um limitante importantíssimo, não há como fugir de um modelo co-criativo, horizontal e 100% colaborativo. Não há espaço para departamentos isolados.

Mesmo o melhor dos planejamentos será parcialmente desconstruído e repensado durante a operação de Real Time

Quais foram os principais resultados e aprendizados obtidos durante esse trabalho das Olimpíadas?

O principal resultado é que o conteúdo que criamos e produzimos contribuiu para que a Coca-Cola se tornasse a marca que mais engajou consumidores durante os Jogos Olímpicos Rio 2016, segundo um estudo da Sprinklr.

Um aprendizado para nós, como agência, foi de que mesmo o melhor dos planejamentos será parcialmente desconstruído e repensado durante a operação de Real Time. Há coisas que não são possíveis planejar, controlar e não acontecem premeditadamente.

E, em âmbito global, o grande aprendizado foi saber lidar com culturas e rotinas globais de uma marca como a Coca-Cola. Entender o que é prioritário num âmbito bem mais amplo (e distinto) do que a realidade brasileira – ou, se quiser, latino-americana – à qual estamos mais habituados a lidar no dia a dia.

Qual é o papel dos influenciadores na viralização do conteúdo dentro desse trabalho de real time marketing e como funciona o processo de escolha desses nomes, já que devem ser profissionais acostumados com a interação em tempo real?

Nós somos responsáveis pela estratégia de influenciadores de todas as marcas da Coca-Cola Brasil. A verdade mais importante que carregamos na construção dessa estratégia é a de que influenciadores não são canal de mídia, mas sim produtores de conteúdo. Então mais do que pensar na viralização, nós fazemos um trabalho muito próximo de cocriação de conteúdo. No caso dos Jogos Olímpicos, nós desenvolvemos a estratégia local e a global.

Renato Rogenski

http://adnews.com.br/adcontent/branded-content/o-real-time-e-o-territorio-do-contratempo.html