Arquivo da categoria: Marketing Verde

Nestlé inaugura instituto de desenvolvimento de embalagens sustentáveis

A Nestlé está inaugurando o Institute of Packaging Sciences [Instituto de Ciências da Embalagem], na sede da Nestlé Research, em Lausanne, na Suíça. O novo instituto permitirá à companhia acelerar seus esforços para trazer ao mercado soluções funcionais, seguras e ecologicamente corretas para enfrentar o desafio global dos resíduos das embalagens plásticas. A iniciativa é um passo importante para a companhia alcançar o compromisso de tornar 100% de suas embalagens recicláveis ou reutilizáveis até 2025.

“Temos a visão de um mundo em que nenhuma de nossas embalagens termine em aterros sanitários ou como lixo. Para tanto, estamos introduzindo soluções de embalagens reutilizáveis e pioneiras em materiais ecológicos. Além disso, apoiamos o desenvolvimento de infraestrutura local de reciclagem e armazenagem, contribuindo para um mundo sem resíduos”, disse Mark Schneider, CEO da Nestlé.

O instituto se concentra em várias áreas da ciência e tecnologia, como embalagens reutilizáveis, materiais de embalagem simplificados, reciclados, papéis de barreira de alto desempenho e materiais de base biológica, compostáveis e biodegradáveis. O centro inclui um complexo de laboratórios de última geração, além de instalações para prototipagem rápida. Em estreita colaboração com a rede global de pesquisa e desenvolvimento da Nestlé, parceiros acadêmicos, fornecedores e startups, o instituto avaliará a segurança e a funcionalidade de vários materiais de embalagem sustentáveis.

A multinacional também vem investindo em outras ações ligadas à sustentabilidade. A empresa desenvolveu com especialistas e fornecedores de embalagens produtos empacotados em papel reciclável, tais como o chocolate em pó Nesquik All Natural e as barras de cereais YES!.

A Nestlé anunciou também a meta de atingir emissão zero de gases de efeito estufa até 2050. A companhia adota o objetivo mais ambicioso do Acordo de Paris, de limitar o aumento da temperatura global em 1,5°C. Antecipando-se à Conferência sobre as Mudanças Climáticas, organizada pelo Secretário Geral das Nações Unidas neste mês, a empresa assinará o compromisso “Ambição das Empresas pela meta de 1,5°C”. A Nestlé revisará seu progresso anualmente.

Com o anúncio, a fabricante acelera seus esforços relacionados às mudanças climáticas, com base em mais de dez anos de trabalho para reduzir as emissões de gases de efeito estufa. Nos últimos quatro anos, a empresa alinhou seus objetivos com metas científicas para manter o aumento da temperatura abaixo de 2°C.

“A mudança climática é uma das maiores ameaças que enfrentamos como sociedade. É também um dos maiores riscos para o futuro de nossos negócios”, disse Schneider. “Nosso tempo para evitar os piores efeitos do aquecimento global está acabando. É por isso que estamos estabelecendo uma ambição mais ousada de alcançar um futuro com emissão zero. Implantando os recursos globais e o know-how industrial da Nestlé, sabemos que podemos fazer uma diferença muito significativa. Nossa jornada para a emissão zero já começou há algum tempo. O que estamos fazendo agora é acelerar nossos esforços”, acrescentou.

Para alcançar a meta, a companhia irá adotar ações, tais como: lançar mais produtos com melhor pegada ambiental e que contribuam para uma dieta equilibrada, o que inclui mais opções de alimentos e bebidas à base de vegetais; ampliar iniciativas na agricultura para absorver mais carbono, por meio do fortalecimento de seus programas com agricultores para recuperar a terra e limitar as emissões de gases de efeito estufa; implantar ações de reflorestamento e melhora da biodiversidade; usar energia elétrica 100% renovável nas fábricas, armazéns, logística e escritórios da Nestlé.

“Estamos transformando nossas operações para alinharmos nossos objetivos com a meta de 1,5°C e levar a uma grande mudança na maneira como nossos ingredientes são produzidos e adquiridos. Nossos fornecedores precisarão embarcar nessa jornada conosco. A tarefa é enorme, mas estamos determinados a fazer com que isso se realize”, afirmou Magdi Batato, vice-presidente Executivo e chefe de Operações da Nestlé.

A empresa está tornando suas redes de distribuição e depósitos mais eficientes e otimizando suas rotas para reduzir o consumo de combustível e as emissões de carbono. Nos 100 principais centros de distribuição da empresa as emissões de gases de efeito estufa diminuíram quase 40% nos últimos quatro anos. A Nestlé intensificou suas atividades para assegurar o fornecimento responsável de suas matérias-primas e progrediu em direção à sua meta de desmatamento zero. Desde 2014, a redução das emissões de gases de efeito estufa em toda a sua cadeia de valor é equivalente à retirada de 1,2 milhão de carros das ruas.

Imprensa Mercado & Consumo - 

Riachuelo inaugura flagship no Shopping Morumbi em São Paulo

A varejista de moda Riachuelo lançou um novo modelo de loja, no Shopping Morumbi, em São Paulo.  A unidade possui 2.290m2 e conta com um mix completo de produtos da marca, com novos serviços e projetos pilotos da companhia. A loja possui experiência de compra digital, com a realização dos pagamentos sendo feitas por meio de dispositivos móveis espalhados pelo estabelecimento.

A flagship possui uma estratégia omnichannel, integrando a loja física com o universo digital. O cliente faz a compra digital na loja e escolhe o endereço para entrega, sem custo. Há ainda a opção dos lockers, que permite a realização do”compre e retire em loja”.

Os provadores da unidade utilizam tecnologia. Por meio de um espelho interativo, os clientes podem ver as outras cores e tamanhos disponíveis das peças, solicitar novos itens e ajustar a intensidade de luz.

A loja é organizada em departamentos, que possuem design e comunicação visual próprios. Ao todo, a unidade possui 67,8m2 de painéis de LED com o conteúdo e storytelling da marca. O espaço possui ainda áreas instagramáveis, como bonecos em tamanho real de personagens da DC, voltados para a interação dos clientes.

A Riachuelo do Shopping Morumbi possui ainda uma área voltada para a customização de peças, como jaquetas e camisetas. O chamado espaço RCHLO + permite a criação, impressão de estampas na hora e a aplicação de patches.

No mesmo espaço serão realizados workshops, bate-papos, ativações com artistas, entre outros. “Queremos que a loja se torne um espaço de encontro e, principalmente, de compartilhamento de ideias e experiências”, disse Elio Silva, diretor executivo de Marketing.

A loja recebeu o selo HBC (Healthy Building Certificate), uma certificação internacional que atesta a saludabilidade de construções com base na qualidade do ambiente. As luminárias foram produzidas a partir de cabides plásticos reciclados, uma reutilização dentro da própria cadeia.

A inauguração do Shopping Morumbi integra o plano de expansão da marca. Está prevista a abertura de mais três lojas e outros projetos, que serão lançados como pilotos na nova unidade e serão replicados nas demais lojas da rede nos próximos anos.

Tiktok e Cruz Vermelha fazem parceria para inspirar ações contra as alterações climáticas

O TikTok, plataforma líder de vídeos curtos, faz parceria com a Federação Internacional da Sociedade da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (IFRC), a maior rede humanitária do mundo, para lançar o desafio #TudoPeloClima, fortalecendo a iniciativa global do IFRC #FacesOfClimateChange.

De 16 a 30 de setembro, os usuários do TikTok poderão colaborar para aumentar a conscientização sobre as alterações climáticas usando três stickers especialmente projetados para esta ação que descrevem condições climáticas extremas: tempestade, tempestade de neve e aquecimento global.

Além disso, os usuários do TikTok também podem participar de um questionário interativo, onde podem testar seus conhecimentos sobre proteção ambiental e compartilhar ações que realizaram para ajudar a reduzir os efeitos da mudança climática. O quizz consiste em 15 perguntas, incluindo “Os sacos de plástico devem ser proibidos?” “Você compraria produtos usados? ” e muito mais. 

“A plataforma social do TikTok é perfeita para transmitir uma mensagem séria de uma maneira emocionante, inspiradora e energética. Estamos ansiosos para ver os jovens levarem suas histórias para um público global”, disse  a Dra. Jemilah Mahmood, subsecretária-geral de parcerias da IFRC, que também compartilhou seu vídeo #TudoPeloClima no TikTok.

 A conta oficial da IFRC no TikTok também divulgou uma série de vídeos oficiais de voluntários e funcionários em todo o mundo

#TudoPeloClima é uma campanha global e podem participar usuários de mais de 100 países e regiões, incluindo Reino Unido, Alemanha, França, Espanha, Itália, Rússia, Polônia, Índia, Japão, Coréia, Malásia, Indonésia, Cingapura, Tailândia, Vietnã, Filipinas, Brasil, México, Turquia, Emirados Árabes Unidos, África do Sul, Austrália, Nova Zelândia, entre outros. 

“A comunidade global do TikTok permite que os usuários expressem suas ideias por meio de vídeos curtos. Estamos entusiasmados com essa parceria com a Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (IFRC) no desafio #TudoPeloClima, que capacita nossa comunidade a mostrar de maneira criativa seu compromisso com a luta contra as mudanças climáticas e conscientiza sobre a importância de proteger nosso planeta”, afirma Helena Lersch, diretora de políticas públicas da TikTok.

Ao oferecer um espaço para as pessoas se expressarem de uma maneira genuína, alegre e positiva, o TikTok é uma ótima plataforma para impulsionar iniciativas de responsabilidade social. Já houve uma série de campanhas, como recentemente com o #SalveNossosOceanos, demonstrando como os usuários do TikTok estão se engajando em iniciativas para proteger o planeta.

Em 22 de setembro, um representante da TikTok se unirá à IFRC para se apresentar na Cúpula das Nações Unidas de Alterações Climáticas de 2019. Faça o download ou aproveite para abrir o aplicativo TikTok para expressar de forma criativa seu apoio ao #TudoPeloClima.

23/09/2019 – Adnews – https://adnews.com.br/admidia/tiktok-e-cruz-vermelha-fazem-parceria-para-inspirar-acoes-contra-as-alteracoes-climaticas/

The Body Shop conquista selo b corp

A The Body Shop, rede inglesa de cosméticos naturais, anuncia a certificação B Corp junto a um seleto grupo de empresas unidas com a missão de promover mudanças na sociedade por meio de atividades empresariais éticas e sustentáveis. A marca se une a outras companhias, que também possuem certificação B Corp, convocando empresas de todo o mundo a se comprometerem a fazer negócios de uma maneira que seja benéfica para as pessoas e para o planeta. Ao obter a certificação, a The Body Shop associa-se à sua matriz, Natura, que foi a primeira B Corp de capital aberto no mundo.

A certificação é concedida a empresas que atendem aos mais altos padrões comprovados de desempenho social e ambiental, transparência pública e responsabilidade jurídica para equilibrar lucro e propósito. É o único selo que mede todo o desempenho social e ambiental de uma empresa, indo muito além da certificação padrão de produto ou nível de serviço. Juntas, essas empresas formam uma comunidade global de 3.000 empresas que usam lucro e crescimento como um meio para alcançar um fim maior, construindo uma economia mais inclusiva e sustentável para todos. O certificado vem do B Lab, uma organização sem fins lucrativos que atende a um movimento global de pessoas que usam os negócios como uma força para o bem.

Há tempos, a The Body Shop lidera o âmbito de negócios éticos e, agora, une-se a um número crescente de empresas B Corp em todo o mundo que atuam para reduzir a desigualdade, diminuir os índices de pobreza, conquistar um ambiente mais saudável, promover comunidades mais fortes e criar mais empregos qualificados com dignidade e propósito.

Como parte da certificação, a The Body Shop mudou o Estatuto Social para que a empresa seja obrigada a entregar um compromisso com o tripé de sustentabilidade, que beneficia as pessoas e o planeta, não apenas os acionistas. “A The Body Shop se une ao movimento B Corp em um momento extremamente empolgante; o planeta e a sociedade precisam de empresas responsáveis inteiramente comprometidas. Não basta apenas se preocupar em obter lucros a curto prazo. Consumidores, funcionários e até acionistas reconhecem essa mudança e também estão mudando seu comportamento para recompensar as empresas e marcas que, na visão deles, apoiam um futuro sustentável. Mudanças reais podem acontecer com o trabalho conjunto e, como agora o mundo enfrenta emergências climáticas e a desigualdade social aumenta, essa é a hora de agir”, declara David Boynton, CEO da The Body Shop.

Segundo Christopher Davis, Diretor Internacional de Sustentabilidade da The Body Shop, a marca sempre admirou movimento B Corp e o que ele representa. “Há tempos temos a ambição de conquistar a certificação e isso nos deixou orgulhosos. Estamos prontos para nos expressar sempre que nos pronunciarmos e falar sobre a revolução na prática comercial que está incorporada a filosofia do movimento B Corp”, conta.

O presidente da Natura, João Paulo Ferreira, comemorou a conquista da The Body Shop. “A chegada da The Body Shop ao grupo de Empresas B reforça o compromisso do grupo com a sustentabilidade e amplia o movimento global de empresas e pessoas que põem os negócios a serviço da geração de impacto positivo no planeta. Acreditamos que podemos fazer parte da construção de um mundo melhor, em que a ambição legítima de crescer e gerar lucro se concilia com a virtude de promover riqueza para a sociedade como um todo”, afirma o executivo. A Natura se tornou uma B Corp em 2014.

“Estamos empolgados com o fato de a The Body Shop ter se juntado ao movimento B Corp neste momento crucial de nossa economia global. Ela se associa a uma comunidade de líderes que estão construindo uma nova economia que funciona para todos – inclusiva, sustentável e que promove o equilíbrio entre propósito e lucro. O mundo precisa de mais marcas como a The Body Shop, que geram valor verdadeiro e de longo prazo para seus clientes, comunidades, funcionários, fornecedores e meio ambiente, ao lado de seus acionistas”, afirma Anthea Kelsick, Diretora de Marketing da B Lab.

 

Selo B Corp

A trajetória da The Body Shop na B Corp começou em novembro de 2017, quando a marca mundial de beleza concluiu um processo de três etapas, composto de triagem, avaliação e verificação, que resultou na certificação.

Para receber a certificação B Corp, analisa-se o desempenho em cinco áreas principais: governança, funcionários, comunidade, meio ambiente e clientes. A campanha “Para Sempre Contra Testes em Animais” contribuiu para essa conquista. A empresa apresentou oito milhões de assinaturas para as ONU (Organização das Nações Unidas), em um esforço para banir para sempre os testes de cosméticos em animais. A campanha e o Programa de Comércio com Comunidades de mais de 30 anos, no qual a The Body Shop adquire ingredientes e acessórios naturais de comunidades economicamente vulneráveis ao redor do mundo, foram contribuições fundamentais para a certificação.

Com base nessa conquista significativa, o próximo passo para a The Body Shop é o desenvolvimento de uma nova estratégia de sustentabilidade abrangente e ambiciosa, a ser anunciada no início de 2021. O objetivo da marca é ser um negócio regenerativo para as pessoas, a sociedade, a natureza e o planeta, eliminando todos os prejuízos e garantindo um impacto positivo.

23/09/2019 – Adnews – https://adnews.com.br/adnegocios/the-body-shop-conquista-selo-b-corp/

Uniqlo comercializará roupas feitas de plástico reciclado

A varejista de moda Uniqlo irá comercializar, em 2020, roupas confeccionadas a partir de garrafas de plástico recicladas. A empresa é a terceira maior varejista de moda do mundo, atrás apenas da Inditex, dona da Zara e da H&M, além de ser a maior da Ásia.

Para o desenvolvimento das peças, foram necessários dois anos de pesquisa em parceria com a Toray Industries, uma das principais fabricantes de tecidos de borracha para a indústria automobilística do mundo. “A Terra como um todo está enfrentando uma crise, e sem a Terra não podemos fazer negócios”, afirmou Tadashi Yanai, presidente da Uniqlo. As duas companhias são parceiras há 15 anos e já desenvolveram juntas jaquetas de tecido leve e camisas que não amassam.

O executivo explicou que as roupas serão feitas de fibras produzidas a partir de garrafas de polietileno tereftalato (PET) usadas. Uma das maiores dificuldades foi retirar impurezas para gerar um tecido confortável. De acordo com ele, os resultados foram surpreendentes, dando origem a tecidos de secagem rápida que gerarão, principalmente, camisetas.

Yanai acredita que os mais jovens serão os mais atraídos pelos novos produtos, já que são mais preocupados com questões relacionadas à sustentabilidade. “Consumidores europeus já são bem conscientes. Estou confiante que os novos produtos serão bem aceitos”, disse o presidente da empresa.

A Uniqlo já é conhecida por adotar práticas sustentáveis, como incentivar seus clientes a praticarem o consumo consciente e recolher jaquetas velhas para reciclar, além de ter eliminado sacolas plásticas, tendo lojas que utilizam água da chuva e energia solar.

O presidente da empresa disse que seu objetivo é transformar a Uniqlo na maior varejista de moda do mundo até 2020. A companhia vem conquistando, de fato, um grande crescimento. Possui 2 mil lojas em 19 países e um faturamento de US$ 15 bilhões.

Kroger anuncia lançamento de produtos plant based

A marca Simple Truth da Kroger adicionará vários produtos à base de plantas ao seu portfólio, na tentativa de atrair o número crescente de consumidores que buscam reduzir o consumo de carne.

A linha plant based da Simple Truth será lançada neste outono. Incluirá hambúrgueres sem carne e produtos que imitam proteína animal, bem como massa de biscoito à base de plantas, molhos para massas, salsichas, produtos de delicatessen, molhos e muito mais.

“Desde o seu lançamento em janeiro de 2013, a Simple Truth se tornou a marca natural e orgânica líder no país, com vendas anuais superiores a US$ 2,3 bilhões”, disse Gil Phipps, vice-presidente de marcas próprias da Kroger.

Phipps observou que mais consumidores adotam um estilo de vida flexível, onde reduzem o consumo de carne por razões de saúde ou ambientais.

As empresas de alimentos de marca, Kellogg e Hormel anunciaram o lançamento de novas linhas de produtos à base de plantas, enquanto a Tyson Foods disse que investiria em uma empresa de imitações de frutos do mar baseadas em plantas. A linha de produtos da Kellogg, Incogmeato, inclui tortinhas à base de plantas e imitações de frango e nuggets. O principal produto da marca Happy Little Plants da Hormel é uma alternativa de carne moída à base de plantas.

O Barclays projetou que as vendas dos produtos à base de plantas atingirão US$ 140 bilhões na próxima década. Mas eles também precisam competir com a Beyond Meat e a Impossible Foods, duas empresas que já estão na vanguarda e que rapidamente estão firmando acordos com cadeias de fast-food como Dunkin ‘e Burger King.

Natura inaugura primeira loja omnichannel em São Paulo

 

A Natura inaugurou sua 47ª loja própria no país. Localizada no Bourbon Shopping, em São Paulo, a unidade apresenta o novo conceito da marca, com tecnologia a serviço da experiência do consumidor e maior interação com os produtos e a história da empresa.A marca está expandindo a atuação no varejo e essa é a sua 11ª loja na cidade de São Paulo. O novo modelo mostra a história e os conceitos da Natura, com ingredientes da biodiversidade brasileira utilizados nos produtos da marca. “O movimento reforça a estratégia multicanal da empresa, que busca atender todos os perfis de clientes em diferentes ocasiões de compra. Queremos levar a melhor experiência aos nossos consumidores”, afirmou Paula Andrade, diretora de Varejo da Natura.

“Em um ambiente que valoriza a jornada do consumidor, a tecnologia está a serviço do cliente”, completou Andrade. De acordo com a executiva, no novo conceito de loja há a oportunidade de vivenciar uma experiência virtual da linha Ekos, conectando-se às comunidades extrativistas da Natura com óculos de realidade virtual, experimentando vários looks em um espelho virtual para maquiagem e fazendo uma avaliação exclusiva de diagnóstico de pele para indicação da melhor solução de hidratação. Para facilitar a realização do pagamento, ele também pode ser feito por sistema mobile, trazendo uma experiência de compra mais dinâmica e fluida.

A loja está segmentada em duas ilhas principais, que permitem maior experimentação de produtos da marca e conhecimento dos ingredientes da biodiversidade. A primeira ilha, com produtos de cuidados pessoais, traz a linha Ekos, que é 100% vegana e conta com mais de 90% de ingredientes naturais da biodiversidade brasileira.

A Casa de Perfumaria do Brasil, que traz as fragrâncias exclusivas da Natura, com ingredientes da biodiversidade brasileira, álcool orgânico e vidro reciclado, ocupa a segunda ilha.

A loja também possui um ponto de logística reversa. Neste novo modelo de loja, o consumidor poderá retornar a embalagem de qualquer produto cosmético da marca já utilizado, que será transformado em novos frascos, reforçando o posicionamento da marca voltado para a sustentabilidade.

Além da presença na cidade por meio da loja própria, os consumidores podem adquirir produtos da marca por meio de suas consultoras ou nas franquias Aqui Tem Natura, modelo de negócios que busca estimular o empreendedorismo de sua rede de consultoras.

Natura está no ranking Sistema B de empresas com responsabilidade socioambiental

As empresas brasileiras vêm se preocupando cada vez mais em trazer retornos para a sociedade e não apenas lucro para os acionistas. Sendo assim, mais companhias do Brasil entraram no ranking das empresas mais bem avaliadas pelo Sistema B, movimento global que preza pela integração do resultado financeiro à geração de resultado socioambiental.

O Sistema B lançou a lista Best for the World, com as empresas que tiveram as melhores pontuações na Avaliação de Impacto B, metodologia de análise de impacto socioambiental utilizada para certificar as empresas que fazem parte do Sistema B. Aproximadamente mil empresas fazem parte do ranking, das quais 53 desta edição são brasileiras, contra 38 em 2018. Para conseguir classificação, a candidata precisa ter pontuação entre as 10% melhores.

As empresas privadas vêm procurando seguir, cada vez mais, o conceito de negócio socialmente responsável. O Brasil é o país que hoje tem o maior número de companhias em processo de certificação, no mundo, somando 4.400. As que já foram certificadas somam 156, incluindo a Natura, que foi a primeira empresa de capital aberto a entrar na lista em 2014.

“Vemos um fluxo crescente de empresas nacionais buscando a certificação ou utilizando o nosso modelo de avaliação como uma forma de melhorar a gestão”, disse Marcel Fukayama, co-fundador e diretor-executivo do Sistema B no Brasil.

Embora a maioria das empresas brasileiras que buscam certificação sejam pequenas e médias, algumas grandes também estão no processo, como o Magazine Luiza e a Movida, que já mudaram seus estatutos para participar e a Danone, que deverá tentar a aplicação.

O ranking Best for the World é dividido em seis categorias, sendo elas: trabalhadores, comunidade, clientes, governança, meio ambiente e pontuação geral. Há ainda uma categoria especial, as das “changemakers” (agentes de mudança), que geram impactos positivos em seus campos de atuação. Nesta edição, as brasileiras Vox Capital, Recicladora Urbana, Baluarte Cultura, Decah, Geekie, Via Gutenberg e Natura receberam esta classificação.

No mundo, mais de 80 mil empresas são aprovadas no processo. A menor pontuação necessária para conseguir é 80, de 200. Sendo assim, apenas uma a cada dez empresas conseguem a certificação. A avaliação deve ser refeita a cada dois ou três anos, a depender da companhia.

Marisa lança coleção com jeans que utiliza menos água em sua produção

A Marisa lançou uma coleção de jeans sustentável. Esse é o primeiro lançamento da marca no segmento e valida o fato da marca ter se tornado uma das Guardiãs da Água na Moda ao se unir à plataforma “A Moda Pela Água”. Criada pelo Movimento ECOERA, sob o comando de Chiara Gadaleta, a plataforma reúne empresas, consumidores e ONGs que buscam soluções para o desperdício de água na indústria.

A iniciativa faz parte de um conjunto de ações da Marisa voltadas à sustentabilidade. Segundo Marco Muraro, vice-presidente Comercial e Marketing da empresa, a companhia há alguns anos investe no acompanhamento e capacitação da sua cadeia de fornecedores visando ao desenvolvimento sustentável da indústria da moda. “A coleção de jeans é a primeira com o foco na sustentabilidade ambiental. Ela foi desenvolvida pela Marisa em parceria com a Vicunha, que também entende a importância de se criar um movimento de consciência ambiental no setor”.

A Vicunha capta e aproveita 140 milhões de litros de água da chuva, além de economizar 83 milhões de litros deste recurso nos processos de recuperação de soda e reuso da água. No ano passado, lançou em parceria com o Movimento ECOERA o projeto Pegada Hídrica Vicunha, que mediu o consumo de água no ciclo de vida de um jeans, a partir de um mapeamento realizado em todos os elos da cadeia.

Na coleção ‘A Moda pela Água’, foram selecionados jeans que reduzem de 75% até 95% o consumo de água dentro dos processos de tingimento e acabamento dos tecidos, além de diminuir a utilização de matéria-prima virgem, com o uso de fibras recicladas. No brim, o tecido White Jeans dispensa processos de tingimento e lavagens em sua produção e, por isso, reduz em 32% o consumo de água.

Além de reforçar o compromisso da marca com o meio ambiente, Andréa Sanches, diretora de Marketing da Marisa, chama a atenção para o fato de o movimento ser colaborativo e contar com parceiros de diversos setores da moda. “Ao fazer parte de um movimento como o “A Moda Pela Água”, em que diversas empresas estão presentes, e criar peças exclusivas com um fabricante de tecidos, a Marisa reforça seu papel de marca próxima e parceira da sociedade. Acreditamos em um movimento coletivo e colaborativo para gerar resultados ainda mais transformadores”, afirma ela.

Mercado Livre inaugura categoria dedicada a produtos sustentáveis

O Mercado Livre lançou uma nova seção dedicada a produtos sustentáveis. São 5 mil itens, incluindo composteiras para transformar lixo orgânico em adubo, painéis solares, eletrodomésticos com baixo consumo de energia elétrica, entre outros.

O objetivo é vender produtos que influam positivamente na sociedade e no meio ambiente. O lançamento da seção ocorreu em vários países além do Brasil, como Chile, Argentina, Colômbia, Peru, México, Venezuela e Uruguai.

A ação é uma estratégia de mercado do Mercado Livre para aumentar a frequência com que os clientes visitam o site, pois alguns destes produtos têm grande recorrência de compra, como alimentos orgânicos.

“Os consumidores que querem comprar esse tipo de produto enfrentam dificuldades para encontrar variedade”, disse Julia Rueff, diretora de vendas do marketplace do Mercado Livre no Brasil.

A empresa realizou uma pesquisa com 18 mil clientes de todos os países em que opera, com exceção da Venezuela. O estudo mostrou que apenas 11% encontram sempre os itens sustentáveis que buscam. Revelou também que 66% dos seus clientes compram produtos ligados à saúde e ao meio ambiente ao menos uma vez por semana.

Por outro lado, apenas 26% dos pesquisados revelaram estar dispostos a pagar mais caro por itens que acreditam ter impacto positivo. Mas a metade só escolheria estes produtos se estivem com o mesmo preço dos regulares.

Mais da metade dos respondentes afirmam que entre os motivos para escolher estas mercadorias estão a boa qualidade. Outras razões citadas foram a preocupação com o futuro e as próximas gerações.

Os consumidores brasileiros aparecem com os menos familiarizados com o consumo responsável, com 89% dos pesquisados respondendo que conhecem o assunto. Este número está abaixo da média de 84% dos outros países latino-americanos. O maior percentual foi o do México, com 96%.

A pesquisa revelou ainda que os millennials são os mais preocupados com questões sociais e ambientais na escolha de produtos online. Entre eles, 90% consideram o impacto no mundo de suas compras.

O marketplace inclua uma seleção de produtos sustentáveis durante a Ecofriday, promoção anual feita desde 2016 e que disponibiliza produtos sustentáveis com desconto. Para criar a nova seção, a companhia analisou os produtos. Os interessados em comercializar itens na nova categoria devem responder um questionário e o portal decide se o vendedor responde aos critérios de sustentabilidade.

“Hoje é um nicho pequeno, mas acreditamos que o futuro passa pela sustentabilidade e queremos estar preparados para ter tudo que o cliente quer consumir”, esclareceu Rueff.