Arquivo da categoria: Marketing Servil (servile)

Uber Eats lança modalidade click & collect em São Paulo

O Uber Eats está lançando este mês o formato click & collect em São Paulo. Com ele, o cliente poderá fazer o pedido pelo aplicativo e ir buscar sozinho no restaurante. A vantagem do modo Retirada é realizar toda a transação pelo aplicativo, inclusive o pagamento, mas sem precisar esperar em filas e nem pagar o frete.

O modo será disponibilizado com restaurantes parceiros, que ganham novas oportunidades de venda. O delivery de alimentos por meio de aplicativos é a modalidade que mais cresce no foodservice. Por outro lado, a estimativa é que mais de 80% das vendas dos restaurantes ainda sejam realizadas diretamente pelos estabelecimentos.

“O Uber Eats quer continuar apoiando o crescimento sustentável da indústria de restaurantes e permitir que nossas cidades sejam economicamente mais dinâmicas para fazer negócios”, afirmou Thaís Azevedo, diretora de Marketing do Uber Eats no Brasil. A modalidade de Retirada já está em testes em milhares de restaurantes dos EUA e da Europa, além da Cidade do México e Guadalajara, no México, e San José na Costa Rica.

Uber Eats lança modalidade click & collect em São Paulo

Walmart lança entrega direto na geladeira nos Estados Unidos

O Walmart lançou um serviço para entrega de pedidos diretamente na geladeira dos clientes. Para a realização do chamado serviço “InHome”, os funcionários do Walmart utilizarão câmeras portáteis e uma “tecnologia de entrada inteligente” que ainda não foi divulgada. A modalidade estará disponível em algumas cidades dos Estados Unidos a partir do segundo semestre.

Para garantir a segurança do serviço, será utilizado um dispositivo que permitirá apenas um único acesso ao funcionário, durante o tempo de entrega. O cliente escolherá a entrada que o entregador utilizará e poderá acompanhar o processo remotamente com vídeos em tempo real ou gravações. A empresa planeja utilizar o serviço para que os consumidores também realizem devoluções de produtos adquiridos online, eles poderão deixá-los em cima da mesa e os funcionários farão a retirada.

Os colaboradores que atuarão com o novo serviço de entrega irão receber um treinamento sobre o cuidado com as entregas e a organização das geladeiras. “Agora podemos atender os clientes não apenas em sua última milha, mas nos últimos passos”, afirmou Marc Lore, presidente do e-commerce do Walmart.

A modalidade será disponibilizada nas cidades de Kansas, Pittsburgh e Vero Beach. O preço e as tecnologias utilizadas ainda não foram informados.

Levi’s transforma loja do MorumbiShopping em flagship

Neste final de semana, foi inaugurada a primeira loja conceito da Levi’s no Brasil. Localizada no Morumbi Shopping, a unidade é a maior da marca no país e a primeira com uma área de experiência física com um espaço totalmente dedicado à customização e personalização dos produtos da marca.

Tradicionalmente, a loja Levi’s do MorumbiShopping é a primeira a receber as maiores experiências da marca no país. Dessa vez a loja foi remodelada para receber todas as coleções e o espaço de experiência para customização e estamparia personalizada. Com 233m², a fachada de mais de 20 metros ganhou painéis de led externos e internos que homenageiam pontos de São Paulo: o Parque do Ibirapuera, a Ponte Estaiada e a Skyline da cidade.

A nova loja faz parte do novo momento mundial da marca que traduz a verdadeira experiência de seu lifestyle no ponto de venda. Prova disto, foi o investimento feito pela empresa para importar uma impressora fabril de 120Kg da marca Brother a qual possibilitará que as camisetas brancas da marca sejam customizadas.

“Trazer esta experiência para nossas lojas conceito no Brasil mostra o crescimento da marca no país e atende o desejo de nossos consumidores em seguir usando suas peças Levi’s de maneira cada vez mais personalizada e exclusiva. Inaugurar tal momento em São Paulo e, mais especificamente no Morumbi Shopping, fez todo o sentido para nós, pois reflete a verdadeira expressão deste projeto: estar no centro da cultura urbana e cosmopolita”, disse Rui Araújo Silva, diretor de Negócios da Levi’s no Brasil.

A nova loja terá, ainda, outro conceito da marca presente nas demais lojas espalhadas pelo mundo: o da prateleira infinita, tecnologia que permite que os clientes comprem via e-commerce na própria loja e recebam os produtos em sua casa ou a possibilidade de comprar via site e retirar diretamente na loja do Morumbi Shopping.

“A ideia é que o nosso cliente saia totalmente satisfeito, seja com a experiência vivida em loja, ou por encontrar exatamente a peça que buscava”, completou Rui.

Redes de supermercados abrem unidades em prédios de escritórios

Os supermercados estão apostando na abertura de lojas em centros corporativos, exemplo do GPA e do Hirota. O objetivo é atender os trabalhadores em seu café da tarde e dar opções de refeições prontas para o jantar, que podem ser levadas para casa.

O GPA vem apostando na abertura de unidades do modelo Minuto, sua bandeira de lojas de vizinhança, em um novo formato. O espaço piloto foi aberto na sede do grupo em São Paulo, em abril. A empresa pretende inaugurar novas lojas do formato na cidade, durante o segundo semestre.

O Hirota abriu três unidades Express em prédios de grandes empresas, como o escritório do banco Itaú, que se tornou a loja da rede mais rentável por metro quadrado. O supermercadista possui 36 lojas em São Paulo. Mais três minimercados devem ser inaugurados até o final de 2019.

Empresas investem em formato Grab and Go para atrair clientes

Na correria do dia a dia, muitas vezes as pessoas mal conseguem parar para comer. O conceito de hiperconveniência surgiu justamente da necessidade de os estabelecimentos oferecerem soluções que poupem tempo e esforço de seus clientes. O Grab and Go (cuja tradução significa “pegue e vá”) é um modelo de atendimento que consiste na oferta de alimentos e bebidas prontos para consumo. A modalidade, que já é amplamente utilizada em países como Estados Unidos e Reino Unido, agora começa a conquistar espaço no Brasil.

A principal característica do Grab and Go é a oferta de alimentos e bebidas prontos e embalados, o que possibilita que o cliente faça uma compra rápida, sem necessidade de realização de pedidos. Os produtos são dispostos em prateleiras expositoras com temperatura controlada e em embalagens que facilitam a identificação de cada item. Essa tendência segue uma demanda dos consumidores por produtos alimentícios que sejam saudáveis, minimamente processados, frescos e, é claro, saborosos.

O sistema surgiu como resposta ao estilo de vida dinâmico e cronometrado da atualidade. Conforme dados apurados em 2017 por uma pesquisa da Nestlé Profissional, 60% dos entrevistados afirmam fazer refeições (como café da manhã, almoço e jantar) em movimento entre as atividades do dia. O estudo também identificou que o tempo dedicado à alimentação está encolhendo: 70% dos respondentes gastam 10 minutos ou menos para o café da manhã, enquanto 95% leva menos de 30 minutos para almoçar.

O sistema Grab and Go é uma opção vantajosa para empreendedores do setor de Alimentos e Bebidas. As empresas focadas especificamente no modelo podem ter instalações pequenas, com cozinha e uma área de atendimento contendo as prateleiras e o caixa de pagamento. A equipe necessária para operação do negócio também costuma ser enxuta, já que grande parte do atendimento ocorre por meio de autosserviço.

O Grab and Go permite o controle dos insumos e pré-preparo antecipado, o que traz ganhos de agilidade – aspecto importante, pois a reposição das prateleiras deve acontecer rapidamente. Além de atuar em espaço próprio e vender diretamente ao consumidor final, as empresas podem fechar parcerias com empreendimentos onde esse tipo de serviço pode ser útil, como prédios corporativos, por exemplo.

Para os clientes, o formato proporciona uma experiência que alia a praticidade de comprar algo pronto para fazer refeições e lanches, a variedade de opções para diferentes paladares e dietas e a conveniência de consumir os produtos onde quiser.

O modelo ainda é pouco explorado no Brasil e um dos motivos é a questão cultural. Segundo dados do Sebrae, de cada dez restaurantes de pequeno porte do país, seis operam por meio de atendimento self-service. São os típicos buffets a quilo. As empresas que desejam apostar em um modelo diferenciado devem ficar atentas aos detalhes, além de oferecer uma opção atrativa de alimentação fora do lar.

Os estabelecimentos de Grab and Go devem estruturar o espaço e a sistemática de atendimento de forma que os clientes entendam facilmente qual caminho seguir. Nesse aspecto, devem ser considerados tanto o acesso aos produtos como a itens complementares, entre eles molhos e condimentos, talheres, guardanapos, copos e sacolas. Também é importante agilizar o processo de pagamento, direcionando um funcionário apenas para operar o caixa ou oferecendo outras alternativas, como pagamento por aplicativo.

A logística de um negócio como esse depende muito da escolha dos equipamentos adequados, especialmente no que se refere às prateleiras de apresentação dos produtos. É necessário que os aparelhos conservem a higiene e a temperatura correta, a fim de garantir a qualidade e a segurança dos produtos oferecidos.

Na área de vendas de produtos Grab and Go, as embalagens assumem uma posição de destaque. Elas devem possibilitar a visualização detalhada do conteúdo interno e direcionar a atenção para o produto. Os recipientes precisam também permitir o consumo prático do alimento ou bebida. Materiais biodegradáveis são opções que agregam valor ao produto pelo apelo ambiental, já que existe uma preocupação com geração de lixo no segmento.

O formato representa um campo com amplas oportunidades para o setor de Alimentos e Bebidas, incluindo refeições e lanches para todos os períodos do dia. Os empreendedores podem usar o modelo para vender refeições, como café da manhã, almoço e jantar; lanches e sobremesas; bebidas; sanduíches; comida saudável; saladas; produtos vegetarianos e veganos, entre outros.

Brasileiros buscam produtos mais saudáveis e sustentáveis

Cresce entre os consumidores a preocupação com a saúde e o meio ambiente, o que vem sendo concretamente refletido nas estratégias e nas vendas da indústria e do varejo brasileiro.

De acordo com o estudo Estilos de Vida 2019 da Nielsen, o meio ambiente já aparece como uma das 10 principais preocupações do brasileiro, ficando atrás apenas da violência, serviços públicos, aumento no custo de vida, educação e economia.

A população do Brasil está mais prática (55% dos entrevistados vão direto à loja para efetuar a compra), mais conectada (64% têm um smartphone), mais saudável (57% reduziram o consumo de gordura e 56% diminuíram a ingestão de sal), mais negociadora (64% escolhem as marcas pelo baixo preço) e mais sustentável (42% estão mudando seus hábitos de consumo para reduzir o impacto no meio ambiente).

O shopper saudável – aquele que declara ir ao médico ao menos uma vez por ano, ter aumentado o consumo de orgânicos e diminuído a ingestão de sal, açúcar, gordura e industrializados – já representa 28% da população brasileira (Estilos de Vida 2018). Os domicílios formados por eles são, em sua maioria, compostos por 3 a 4 indivíduos, sem crianças e pertencentes às classes A e B, apresentando um maior ticket médio e indo mais vezes aos pontos de vendas.

No entanto, mesmo com maior incidência nas classes mais altas, a busca por um consumo mais saudável e sustentável vem permeando todas as faixas da população brasileira, indo além de uma segmentação demográfica, como mostra a edição 2019 do estudo Estilos de Vida.

A pesquisa aponta que 73% dos consumidores saudáveis afirmam que gastariam mais com marcas que se preocupam com o meio ambiente, porém, 43% deles declaram que ainda é difícil encontrar produtos sustentáveis nas lojas. No quesito saudabilidade, 64% afirmam seguir alguma dieta que limita ou proíbe o consumo de determinados produtos ou ingredientes: 44% gostariam de ter mais opções de produtos orgânicos, 26% adotaram uma dieta livre de glúten e 15%, sem lactose.

O consumidor saudável vai, em média, 27 vezes ao ponto de venda, com um ticket médio de R$ 29, comprando 6 itens por visita. Os canais especializados estão entre os seus preferidos: 96% declara fazer compras em feiras de rua e 74% em sacolão/hortifruti, ou seja, 26% acima da média do total de lares brasileiros sem esse perfil.

“A qualidade e a conveniência são atributos muito valorizados pelo shopper saudável, 83% afirmam que uma das principais razões para escolha da loja é encontrar itens de boa qualidade e 64% preferem fazer compras no fim de semana, principalmente, para ter mais tempo para analisar os ingredientes que os compõem”, explicou Fernanda Vilhena, gerente de Atendimento ao Varejo.

Além disso, um grande percentual dos compradores demonstra confiança em produtos de Marca Própria (71%), além de estar mais conectado, assumindo pesquisar sobre os produtos e preços em aplicativos antes de ir à loja (60%) e gostar de interagir com suas marcas preferidas pelas redes sociais (79%).

Os produtos saudáveis vêm impulsionando o mercado de FMCG, crescendo 12,7% em faturamento no último ano, o que representa 5% do total faturado. Dentre estes, os segmentos sem glúten/sem lactose, fresco/natural/orgânico e diet/light/zero recebem o maior destaque, somando 61% de importância e contribuindo com 75% do crescimento na categoria de saudáveis.

Atentos a isto, a indústria e o varejo se movimentam cada vez mais para atender tais demandas do consumidor. Alimentos e bebidas têm focado nos ingredientes – reduzindo sal, açúcar, gorduras e calorias – e recorrendo a porções menores para os produtos com atributos opostos à saudabilidade.

Para Higiene e Beleza, além das embalagens refil, os produtos com ingredientes naturais são destaques deste movimento, crescendo 18%, frente ao incremento total de 3,5% da cesta (2018 vs. 2017). Os produtos voltados para cuidados do cabelo são os principais responsáveis (95%) por este resultado.

Já no segmento de Limpeza, embalagens sustentáveis e elementos menos abrasivos têm sido as alternativas mais recorrentes para atender tais demandas.

“A indústria tem se movimentado no sentido de ampliar seu portfólio por meio da aquisição de outras marcas, de modo a ingressar em categorias ou nichos com o apelo saudável e estreitar relação com seus consumidores”, comentou Fernanda. Também já se observam investimentos em inteligência artificial a fim de criar produtos personalizados com base na demanda individual de cada consumidor.

O varejo, neste mesmo sentido, também passa a investir na saudabilidade e sustentabilidade, seja trabalhando a Marca Própria como forma de impulsionar e democratizar o consumo, seja com o investimento em estratégias digitais para engajar e personalizar a compra via mobile. Também têm sido observadas ações contra o desperdício, compras responsáveis, gestão de resíduos e do impacto ambiental de suas operações.

Para um terço da população brasileira, sustentabilidade já está entre as três principais preocupações do consumidor e 28% dos lares já adotam medidas saudáveis, destacando-se com maior frequência de compras e ticket médio mais alto em todos os canais. Os produtos saudáveis crescem 12,7% e impulsionam o resultado das categorias que atuam com diferentes drivers de crescimento, como lançamentos, descontos de preços e pulverização de canais.

Neste sentido, indústria e varejo têm buscado, cada vez mais, diversificar suas estratégias adquirindo novas marcas, reformulando produtos, lançando novos formatos de lojas, programas de reciclagem e gestão de suas operações. Desenhar uma estratégia de sortimento, comunicação e precificação para atingir o shopper saudável também se configuram como ações vencedoras para fidelizar esses clientes e garantir melhores resultados.

5àsec lança modelo de franquia baseado em lockers

A 5àsec lançou um modelo de franquias baseado em lockers. Os armários digitais podem ser instalados pelos franqueados que já compõem a rede em condomínios residenciais, comerciais e até academias. A estratégia da marca é oferecer uma experiência diferenciada, além de comodidade aos clientes, que podem deixar suas roupas para serem limpas pela lavanderia, sem precisar sair de casa. Até o final do ano são esperados, ao menos, 50 lockers em diferentes estados brasileiros.

A empresa já utiliza há alguns anos o sistema de delivery no Brasil, que foi uma estratégia encontrada para facilitar o dia a dia do cliente. Com a evolução da tecnologia, a mudança de hábitos dos consumidores e a falta de tempo, o delivery passou a não ser suficiente, pois as pessoas começaram a sair muito cedo e voltar muito tarde para casa. Para resolver de uma vez por todas estas questões, a marca decidiu apostar nos lockers, armários digitais que podem ser implantados em locais estratégicos.

A ideia surgiu graças a uma demanda dos próprios franqueados, que buscavam a abertura de pontos de coletas dentro de condomínios para atendimento em horários alternativos. Além disso, o modelo de negócio se torna mais eficiente porque dispensa o uso de um colaborador, além de funcionar 24 horas por dia, sete dias por semana, de acordo com a necessidade dos consumidores e no horário de sua preferência.

A novidade é voltada para condomínios residenciais e comerciais, além de centros comerciais e academias. Para utilizar o serviço, o cliente entra no app da 5àsec, disponível em Android e iOS, para informar que está colocando as peças no armário e, em seguida, informa o número da porta. A loja responsável por aquele condomínio recebe a informação e providencia a coleta das peças no armário. O serviço de limpeza e a devolução ocorre em até 48 horas.

Vale ressaltar que o custo é o mesmo praticado nas lojas físicas, sem acréscimos ou taxas adicionas e sem cobrança do serviço de delivery. Também não há restrição com relação ao tipo de peças e todos os serviços e pacotes podem ser contratados por meio dos lockers. O pagamento é feito online, por meio do app, após cadastro e o destravamento da porta é realizado por meio de QR Code.

“As empresas que instalam armários para qualquer tipo de serviço em condomínios geralmente cobram do empreendimento um valor mensal de aluguel ou até mesmo o custo total, que varia de R$ 7 mil a R$ 12 mil. No caso da 5àsec, não será cobrado nada dos condomínios, já que o investimento é por conta do franqueado que colocará, sem custo de implantação ou cobrança mensal, os lockers para que os moradores ou trabalhadores do local possam usar os serviços da lavanderia. Teremos lockers com 10, 20 ou 30 portas, de acordo com a estrutura do empreendimento”, ressaltou o diretor Comercial da rede, Alex Quezada.

Segundo o Sindilav (Sindicato Intermunicipal de Lavanderias no Estado de São Paulo) mais de 20% da população economicamente ativa é considerada cliente em potencial. Atualmente, as pessoas estão cada vez mais inclinadas a utilizarem os serviços de lavanderias, seja por falta de tempo ou até mesmo falta de espaço para estender a roupas, fato que tem impulsionado, cada vez mais, o aumento de serviços de lavagem.

Dessa forma, a rede de franquias espera que os armários digitais aproximem ainda mais os clientes em potencial, já que se trata de um serviço totalmente acessível, prático e vantajoso. Os primeiros lockers serão implantados em condomínios localizados nos bairros Cidade Monções e Jardim São Luís, ambos na capital paulista, em São Paulo.

Por Imprensa Mercado & Consumo – 10 de julho de 2019

5àsec lança modelo de franquia baseado em lockers