Arquivo mensal: junho 2018

Instagram disponibiliza chamada simultânea para até quatro pessoas

genious
Malu Lutfi

Existem alguns programas que possibilitam chamadas de vídeo. Querendo atender a todos os públicos e ganhar uma parcela deste mercado, o Instagram anunciou nesta terça-feira (26) uma ferramenta, disponível para iOS e Android, que permite videoconferências.

A funcionalidade ficará no Direct, área do aplicativo onde há um chat para conversar com outros usuários. Lá, aparecerá um ícone de vídeo e basta tocar para iniciar a chamada. As ligações poderão ser feitas entre até quatro pessoas.

Junto com o anúncio, a empresa revelou uma aba de exploração mais organizada. Ao tocar no ícone da lupa, o usuário poderá ver os posts personalizados e divisões, como arte, esportes, viagem e animais. O programa também possui o botão de “Mute” para bloquear conteúdo indesejado.

Outra novidade do app é que a função Stories ganhará novas mascaras personalizadas. Para pessoas que seguem o perfil da NBA, por exemplo, ao clicar no ícone de rosto no lado inferior, automaticamente haverá um efeito de “enterrada” num garrafão da liga de basquete norte-americana. Os filtros serão ativados para quem segue o perfil do Buzzfeed e da cantora Ariana Grande, por exemplo.

IGTV x YouTube: todos querem os influenciadores

play

O Instagram acabou de lançar em um evento mundial a sua nova ferramenta de vídeos, o IGTV. Dias depois, em resposta, o YouTube anunciou novas ferramentas para os criadores de conteúdo. Duas falas, nesses anúncios, chamam muito a atenção para um elemento estratégico tanto para o crescimento dessas redes sociais, quanto para que elas consigam manter cada dia mais usuários em suas plataformas: o criador de conteúdo, mais conhecido como influenciador digital.

Atualmente, muitos influenciadores do Instagram criam um canal no YouTube para divulgar vídeos mais longos e direcionam sua comunidade do Instagram para o YouTube, com link na bio e link nos stories, para aqueles que tem mais de 10K e conta comercial. “Em todos os meus cursos e mentorias, ou seja, na profissionalização dos influenciadores, essa é sempre a minha recomendação: fazer o que chamamos de cross mídia”, comenta Dani Almeida, jornalista, consultora de imagem e criadora do curso Influenciadora de Sucesso.

Segundo o próprio Instagram, como todos os seguidores dos influenciadores na rede social já automaticamente seguirão as mesmas pessoas no IGTV, essa base pode ser gigante. “Esse é o público, esses criadores, a @lelepons tem 25 milhões de seguidores. Ela vê o Instagram como sua casa. São esses influenciadores que a gente vê com sucesso no primeiro dia e nos primeiros meses”, afirmou Mike Krieger, brasileiro cofundador do Instagram.

Poucos dias depois, o YouTube anunciou o alcance de 1,9 bilhão de usuários por mês e revelou, ainda, que o número de produtores de conteúdo que ganham cinco dígitos por ano aumentou em 35% e o número de criadores que alcançaram seis dígitos aumentou 40%.

“Para aumentar a possibilidade de rentabilização dos criadores, o YouTube anunciou várias novas ferramentas, entre elas a possibilidade de influenciadores venderem mebership (taxa mensal recorrente), produtos de marca própria (mais de 10 mil inscritos) e a função Premiere, que permite avisar os inscritos sobre a chegada de um novo vídeo (mais de 100 mil inscritos). Mas o que chamou mais atenção nisso tudo, foi o anúncio do YouTube”, comenta Dani

“Os criadores do YouTube são o coração da nossa plataforma. É por isso que estamos comprometidos em criar produtos que capacitem e apoiem a comunidade de criadores”, disse Neal Mohan, Chief Product Officer do YouTube. “Por criadores, leia-se influenciadores digitais”, explica Dani.

Quais vantagens o influenciador leva?

O maior atrativo do YouTube para os influenciadores é o fato de que, além do conteúdo patrocinado, que representa hoje os maiores faturamentos entre esse público, o próprio YouTube remunera a geração de conteúdo.

Segundo o Instagram, eles estão estudando junto aos influenciadores, se haverá formas de rentabilização do IGTV. Segundo Krieger, isso será conversado nos próximos meses com os criadores para definir o que é melhor para a plataforma. O mesmo vale para anúncios – a princípio não existirão, mas a longo prazo eles podem aparecer.

“É difícil prever os desdobramentos dessa batalha ainda. Faz parte cada empresa querer puxar para si os influenciadores, já que eles representam sempre o potencial de crescimento viral”, comenta Dani.

O que fazer? Quem ‘escolher’?

Minha recomendação aos alunos dos meus cursos e à comunidade de 42 mil influenciadores que segue meu conteúdo no IG @influenciadoradesucesso, listas de email e WhatsApp permanece a mesma: não fique refém de apenas uma plataforma.

Ainda mais para influenciadores que amam trabalhar o Instagram e têm dificuldade em trabalhar o YouTube, a tentação e grande. Mas fica meu aviso… e se alguma coisa, qualquer coisa acontecer e você perder sua conta, o que você fará?

Além disso, o YouTube continua sendo a maior fonte de rentabilização para quem realmente quer atuar de maneira profissional, ganhando como profissional.

Enquanto isso e, por enquanto, as maiores lições que podemos tomar com o lançamento da IGTV são as seguintes:

  1. Esqueçam as origens do Instagram. O Instagram, definitivamente, deixou seu passado de aplicativo de fotos. Ele se tornou um microblog, agora, com vídeos.
    2. Quem estourou nessa rede, vai precisar se reinventar. Fotos inspiradoras não serão mais suficiente para engajar sua comunidade.
  2. O engajamento na sua timeline (suas fotos), que já vinha caindo, vai despencar devido à grande quantidade de conteúdo para ser consumida. O engajamento nos stories já começaram a cair também.
  3. Prepare-se para ser boa não apenas em fotos e conteúdo escrito, mas também em vídeos. O consumo de vídeo na internet cresce vertiginosamente e a IGTV é mais uma prova disso.

http://adnews.com.br/midia/igtv-x-youtube-todos-querem-os-influenciadores.html

Instagram faz história ao ultrapassar 1 bilhão de usuários e lançar o IGTV

dsa

Pode parecer que sempre existiu, mas o Instagram nasceu há apenas oito anos. Criado para o compartilhamento de fotos, o aplicativo, que só era disponibilizado para iOS, caiu no gosto do público e em pouco tempo atinge níveis absurdo de crescimento. Com 600 milhões de usuários em setembro de 2016, o app chegou a 800 milhões um ano depois e, agora, alguns meses após a antiga marca, ele ultrapassa a faixa do 1 bilhão de usuários ativos.

Adquirido pelo Facebook em 2012, a startup que na época da fusão tinha apenas 200 milhões em sua comunidade, anuncia nesta quarta-feira (20) o novo índice bilionário. Divulgada a partir de um evento interno realizado em São Francisco e transmitido pela internet, o CEO Kevin Systrom conta que “É incrível, e é algo que Mike e eu nunca pensamos que aconteceria”

Lançamento do IGTV

Para continuar apresentando ferramentas as pessoas que se acostumaram com as mil possibilidades de produzir conteúdo em vídeo na rede, os criadores do Instagram vão além e lançam dois novos formatos de conteúdo na plataforma.

Preocupados com a concorrência do Youtube, os engenheiros da companhia expandiram a duração dos vídeos postados na timeline. Se até pouco tempo, a duração máxima dos clipes era de 60 segundos, a empresa mudou isso e hoje apresentou a possibilidade de estender postagens audiovisuais para até 1 hora.

Além disso, o Instagram deu mais um passo em direção ao concorrente Google e criou o IGTV. De acordo com o seu cofundador, a plataforma estará disponível dentro do próprio Instagram ou como um aplicativo separado. Disponível para iOS e Adroid, ela é voltada para descobrir novos vídeos feitos por produtores de conteúdo amadores.

“Isso que vamos lançar é completamente mobile first. É simples e de alta qualidade”. Sobre o direcionamento da récem-anunciado dispositivo, o CEO defende que “as crianças continuam assistindo menos TV, mas, ultimamente, eles veem cada mais creators online e nós vamos de encontro a essa necessidade

http://adnews.com.br/social-media/instagram-faz-historia-ao-ultrapassar-1-bilhao-de-usuarios-e-lanca-o-igtv.html

Facebook quer cobrar por conteúdo de grupos

escritorio

De acordo com o site Newsroom, o Facebook anunciou na última quarta-feira (20) que pretende ajudar publicadores da rede social. Para isso, a empresa encontrou uma forma de cobrar por informações que circulam na plataforma. Desse modo, a rede de Zuckerberg irá lançar um projeto teste que permite aos administradores de grupos cobrarem pelo conteúdo internamente com subscrições mensais.

Até agora a opção está disponível apenas para algumas pessoas.  O intuito da ferramenta é permitir que informações úteis, como dicas de faculdade, listas de compras, planejamentos, etc. sejam controladas. A criação trará mais liberdade aos criadores em questão de monetização de conteúdo.

Os administradores poderão cobrar de US$ 4,99 a US$ 29,99. Para os usuários, as inscrições podem ser feitas ou canceladas, tanto para iOS como Android. O Facebook não usará esse valor para “manutenção” interna de suas operações.

http://adnews.com.br/social-media/facebook-quer-cobrar-por-conteudo-de-grupos.html

Instagram testa recurso para controlar tempo de uso

insta

Já pensou em controlar o tempo de publicações do Instagram? A marca sim. No mês de maio, a empresa passou a testar um recurso que informa ao usuário todas as postagens vistas nas últimas 48 horas. Agora, a plataforma vai além e apresenta uma ferramenta de controle de datas.

Segundo informações do Mashable, o recurso, que ainda está em fase de teste, permite que o dono da conta determine um tempo de uso do aplicativo e seja notificado quando o limite for atingido.

A nova função fará parte da área “usage insight”, onde publicadores têm a possibilidade de verificar o tempo de uso do aplicativo ao longo da semana e ajustar configurações de lembretes diários. A data de lançamento oficial não foi divulgada, mas já faz parte do código do app para a versão Android.

Kevin Systrom, CEO da marca, confirmou anteriormente que a companhia estava trabalhando em uma série de recursos destinados a ajudar os usuários a “entender como o tempo online impacta nas pessoas”.

http://adnews.com.br/social-media/instagram-testa-recurso-para-controlar-tempo-de-uso.html

Facebook terá ferramenta “Karaokê” para transmissões ao vivo

cantar

O Facebook está cada vez mais próximo de possuir todas as ferramentas possíveis de publicação. Seguindo este pensamento um novo recurso chega a plataforma para todos aqueles que adoram cantar. O anúncio feito terça-feira (5) declara que transmissões ao vivo agora terão a opção “karaokê” com direito a máscaras e filtros de edição.

Para utilizar o recurso basta clicar em “Lip Sync Live” e escolher a música desejada.  Em seguida, o usuário poderá personalizar a transmissão. Amigos e conhecidos poderão acompanhar a cantoria e comentar a performance em tempo real. De acordo com a divulgação da própria empresa, o programa permite sincronizar as transmissões com músicas como “Welcome To The Jungle”, de Guns N’ Roses, “Havana”, de Camila Cabello e outros.

A atualização ainda não está disponível para todos os usuários.

http://adnews.com.br/social-media/facebook-tera-ferramenta-karaoke-para-transmissoes-ao-vivo.html

Algoritmos do Instagram explicados pela própria plataforma

pauta instagram

Pode ser difícil acompanhar o ritmo de mudança dos algoritmos do Instagram. Na verdade, a plataforma nunca explicou exatamente como o algoritmo escolhe o que mostrar até o evento Scale no ano passado. Esta semana a empresa foi além e trouxe uma coleção de jornalistas de tecnologia que analisou, em detalhes, como seu sistema de feed funciona e mais ainda: como isso beneficia os usuários.

Em primeiro lugar, o algoritmo do Instagram leva em consideração três fatores principais, que pesam mais o sistema do que qualquer outra coisa.

Interesse: o algoritmo determinará o interesse que você provavelmente terá em cada postagem individual, considerando primeiro o quanto você se envolveu com conteúdo semelhante no passado. Para isso, é analisado o quanto cada usuário se envolve com postagens de imagem e vídeo. O sistema também avaliará o conteúdo visual das postagens, facilitado pelas ferramentas de reconhecimento de imagens do Instagram.

Proximidade de tempo: O Instagram também considera quando o post foi publicado. Alguns usuários se queixaram de que veem muito conteúdo antigo em seus feeds, o que resultou no lançamento de uma atualização para o fato.

Relacionamento: E o último fator importante é seu relacionamento com quem postou. Os fatores usados ​​nesse cálculo podem incluir interações comuns, como comentários e curtidas nas postagens dos outros, mas também direcionar mensagens e postar tags (ou seja, se você costuma ser marcado nas imagens dessa pessoa e vice-versa).

Esses elementos são bastante conhecidos e são muito semelhantes aos fatores que o Facebook leva em conta com o algoritmo News Feed, mas o elemento de reconhecimento de imagem adiciona algo interessante. Em vez de fazer referência a hashtags, o Instagram também pode usar o conteúdo de imagem para ajudar a destacar mais do conteúdo em que você provavelmente está interessado.

O desenvolvimento aponta potencialmente para a próxima evolução do sistema de algoritmo do Instagram, que colocaria muito mais ênfase no que realmente está em cada imagem, em oposição às tags que você usa ou às legendas. Isso faz sentido: se você conferir muitas fotos de praia, provavelmente vai querer ver mais e, embora o sistema talvez não consiga determiná-las apenas a partir dos elementos de texto, a referência cruzada visual poderia obtê-los.

Para os profissionais de marketing, isso pode levar a uma mudança significativa na maneira como você publica para alcançar seu público-alvo.

Além disso, o Instagram também procurou esclarecer alguns mitos de algoritmo comuns:

Um retorno para a linha do tempo cronológico não acontecerá tão cedo;

O algoritmo não favorece postagens de imagens ou vídeos. Como mencionado acima, isso é baseado no comportamento de cada usuário;

Não há penalidade em relação a alcance por postar com muita frequência, embora possa ver algumas de suas postagens intercaladas com atualizações de outros usuários para evitar que as pessoas vejam fluxos de seu conteúdo;

O algoritmo não dá preferência a contas pessoais ou empresariais. Todas são classificadas igualmente;

E enquanto muitos usuários do Instagram não ficaram felizes quando a plataforma introduziu um feed definido pelo algoritmo, os dados do usuário falam por si. Antes da introdução do algoritmo, os usuários estavam gastando cerca de 21 minutos por dia no aplicativo, mas desde a sua implementação, que foi aumentada para 24 minutos por dia, em média, por usuário.

Agora, isso pode não parecer muito equilibrado, mas quando você considera que o Instagram tem 800 milhões de usuários ativos, três minutos cada é um tempo muito mais engajado – e muito mais oportunidades para o Instagram monetizar esses usuários com anúncios.

http://adnews.com.br/internet/algoritmos-do-instagram-explicados-pela-propria-plataforma.html