Arquivo mensal: março 2013

91% dos executivos brasileiros leem blogs

No artigo “O mapa da mídia no Brasil e na América Latina – Parte 1” publicamos a seguinte informação, que talvez tenha passado despercebida em meio  a tantas outras:

O que fazem os brasileiros na internet? As principais  atividades em que os brasileiros se engajam quando estão na internet são as  seguintes:

  1. Leitura de blogs: Blogs têm uma taxa de 96% de penetração  entre os usuários brasileiros de internet e 91%  penetração entre os executivos brasileiros

A consequência prática dessa informação é evidente por si mesma: as empresas  do mercado B2B que conseguirem produzir blogs  corporativos com conteúdo interessante para os executivos brasileiros terão  a máxima probabilidade de que as suas mensagens cheguem à pessoa certa.

O seu desafio, portanto, não é decidir se a sua empresa precisa de um blog. O  desafio é publicar conteúdo nesse blog que seja interessante para os executivos  que você deseja influenciar.

A solução para esse desafio se chama “Plano  Editorial“.

O plano editorial é um documento que sintetiza as principais decisões  relativas ao conteúdo do seu blog. Vejamos alguns exemplos de decisões que  constam de um plano editorial:

  • Conceito. É fundamental para o sucesso do seu blog que ele  tenha uma proposta diferenciada, uma abordagem diferente, uma ideia central que  permita identificá-lo em meio a outras publicações na web.
  • Título do blog. É preciso escolher um título que reflita o  conceito ou o tema geral que gera o maior interesse em seu público-alvo.
  • Periodicidade. Refere-se à frequência de atualização do  blog: diária, em dias alternados, semanal, quinzenal, mensal. Em seguida, é  preciso também decidir o volume de cada atualização, isto é, se cada atualização  incluirá apenas uma ou várias postagens de cada vez.
  • Temas e Assuntos. Dentro do tema geral do blog pode-se  produzir uma variedade imensa de conteúdo sobre os mais diversos assuntos com um  variadíssimo leque de abordagens. O plano editorial definirá quais serão os  temas e a abordagem que eles receberão.
  • Tipos de conteúdo não-textual. Embora um blog possa ser  constituído somente de texto, é possível e desejável incluir regularmente fotos,  ilustrações, infográficos, vídeos, podcasts, e-books, apresentações de slides,  entre muitos outros. O plano editorial definirá quando e como esse conteúdo será  produzido e publicado.
  • Tipo de conteúdo textual. Os conteúdos de texto de um blog  podem assumir tantas formas quanto qualquer outra publicação: artigos  opinativos, entrevistas, notícias, resumos, press releases, comunicados. O plano  editorial definirá o mix adequado de cada conteúdo textual publicado no seu blog  corporativo.

É evidente que um blog corporativo produzido a partir de um plano editorial  detalhado e, preferencialmente, baseado em pesquisa prévia junto ao público  visado, terá toda a probabilidade de ser incluído na lista de leituras dos  executivos a quem sua empresa deseja influenciar.

Assim, caso o blog de sua empresa não esteja chegando às pessoas com quem  você deseja falar, a solução é fazer um novo plano editorial, desta vez sob a  orientação de nossa empresa. Afinal, como você pode conferir em nosso arquivo, nós abordamos cientificamente a estratégia de blogs  corporativos desde 2008, dispondo de todo o conhecimento e a experiência  necessários para produzir um plano editorial vencedor para o blog de sua  empresa.

Autor: Alex Oliveira | Data: 25/03/2013  |

Leia mais em:  http://gessicahellmann.com/91-dos-executivos-brasileiros-leem-blogs/#ixzz2Ofpnt4WC

O mapa da mídia no Brasil – Parte 2 – E-commerce e Mídias Sociais

Neste artigo, apresentamos a segunda parte do relatório divulgado pela  empresa US Media Consulting sobre mídia no Brasil e na América Latina. O foco deste artigo  será nos principais dados relativos aos hábitos do consumidor brasileiro com  relação a e-commerce, mídia social, vídeo online e mídias móveis.

Os brasileiros e as mídias sociais: a escolha certa para fazer compras. Fonte: US Media Consulting (março/2013). Gráfico por Géssica Hellmann & Cia.

Os brasileiros e as mídias sociais: a escolha certa  para fazer compras. Fonte: US Media Consulting (março/2013). Gráfico por Géssica  Hellmann & Cia.

E-commerce: estamos na internet para comprar

  • O e-commerce no Brasil atingiu 11 bilhões de dólares em 2012 e projeta-se  que chegará a 14 bilhões de dólares em 2013.
  • As principais categorias de produtos comprados por brasileiros nas lojas  online são Eletrodomésticos (15% das vendas), Computadores (12%), Eletrônicos  (8%) e Moda & Acessórios (7%).
  • 79% dos brasileiros possuidores de smartphones usam seus telefones celulares  para auxiliá-los em alguma etapa de seu processo de compra.
  • 72% dos brasileiros têm cartão de débito ou crédito.

Mídia social: brasileiro, sociável por natureza

  • 97% dos usuários brasileiros de internet estão nas mídias sociais.
  • 77% dos brasileiros que têm uma conta no Facebook interagem com alguma marca  online.
  • 58% dos brasileiros que usam Twitter leem posts de suas marcas  favoritas.
  • 61% dos brasileiros com acesso à internet pesquisam informações sobre  produtos em sites de mídia social antes de comprar.
  • 42% dos consumidores brasileiros entre 25 e 44 anos já fizeram alguma compra  após receber uma mensagem promocional em uma rede social.
  • Além do Facebook, outras redes também apresentaram crescimento explosivo. O  Linkedin atingiu 10 milhões de usuários em outubro de 2012.

Vídeo online: o brasileiro sempre de olho na telinha

  • O Brasil tem 42,9 milhões de espectadores de vídeos online.
  • Os brasileiros assistiram a 5,4 bilhões de vídeos online em agosto de 2012,  um aumento de 74% em relação a agosto de 2011.
  • Os anunciantes que usam apenas a TV convencional (offline) perdem até 30% da  cobertura de seu target. Usando o vídeo online em conjunto com a TV, é possível  recuperar 16% da cobertura efetiva.
  • O Brasil é o sexto maior mercado mundial para o Youtube em termos de número  de visualizações.

O Brasileiro é móbile

  • A penetração dos telefones celulares no Brasil é de 130%. Já a penetração  dos smartphones chegou a 14% em 2012, totalizando 27 milhões de pessoas.
  • As vendas de smartphones no Brasil cresceram 77% em 2012 em relação a  2011.
  • 55% dos telefones celulares no Brasil têm acesso à internet.
  • Em 2015, 57% dos celulares vendidos no Brasil serão smartphones.
  • Os principais efeitos dos smartphones sobre os hábitos de consumo dos  brasileiros são os seguintes:
    1. 80% pesquisam produtos ou serviços em seus telefones.
    2. 94% reparam em anúncios móveis.
    3. 66% visitam a empresa pesquisada em seus smartphones após obter a  informação.
    4. 75% fazem uma pesquisa em seus smartphones após ver um anúncio.
    5. 31% já fizeram uma compra usando seu smartphone.
  • As vendas de tablets atingiram 3,1 milhões de unidades em 2012, um  crescimento de 400% em relação a 2011.
  • Os tablets respondem por 42% do tráfego de internet que não é de  computadores.
  • 60% dos brasileiros das classes AB acessam a internet através de celulares.  Na classe C, esse número é 36%.
  • Em 2016, 21% de todo o tráfego de internet no Brasil será feito a partir de  dispositivos móveis.

Conclusões

O consumidor brasileiro mergulhou de corpo e alma na internet, reconhecida  cada vez mais como uma poderosíssima ferramenta para otimizar suas compras.  Usando seus smartphones, tablets, notebooks ou PCs desktop, o brasileiro vê com  cada vez mais confiança a experiência de consumo online, vencendo os antigos  receios e transformando a web em uma extraordinária oportunidade para fazer bons  negócios. Cada vez mais, a mídia certa para vender para o brasileiro será a  internet e a vantagem estará nas mãos das empresas que dominarem as técnicas e  as linguagens das mídias online.

Autor: Géssica Hellmann | Data: 22/03/2013  |

Leia mais em:  http://gessicahellmann.com/o-mapa-da-midia-no-brasil-parte-2-e-commerce-e-midias-sociais/#ixzz2OflCZJUL

O mapa da mídia no Brasil e na América Latina – Parte 1

A empresa US Media Consulting apresentou no dia 8 de março um extenso relatório consolidando os dados de mais de 200 pesquisas sobre os padrões de consumo de mídia no Brasil e na América Latina. Neste artigo, apresentaremos os principais resultados relativos à realidade brasileira em relação ao consumo das diversas mídias on e offline.Crescimento-midias-publicitarias-no-Bras Gráfico 1 – Crescimento das mídias publicitárias no Brasil (1º sem/2012). Fonte: Us Media Consulting (mar/2013). Gráfico por Géssica Hellmann & Cia. O Brasil e o consumo da classe C

  • Classe C: crescimento explosivo. Embora a classe B seja responsável pela maior fatia do consumo das famílias no Brasil (51%), a classe C é a mais numerosa e a que cresce mais rapidamente, somando 105 milhões de brasileiros em 2011. Esse número é equivalente a 55% da população, uma proporção que deve atingir 58% em 2014.
  • Classe C a caminho da gastança. O consumo da classe C em 2012 somou mais de 1 trilhão de reais e projeta-se que esse valor chegará a 1,46 trilhão de reais em 2015, um número maior do que a soma dos valores do consumo das classes A e B.

A ascensão contínua do mercado publicitário brasileiro

  • Quinto maior mercado do mundo. Em 2014, o Brasil se tornará o quinto maior mercado publicitário do mundo, com um investimento total de 22 bilhões de dólares, atrás apenas de Estados Unidos, Japão, China e Alemanha. Esse número representa um crescimento de 45% em relação a 2011, quando o investimento publicitário somou 15,3 bilhões de dólares.
  • A disparada da internet. A internet é a mídia publicitária que cresce à taxa mais alta no Brasil (15,46% no primeiro semestre de 2012), à frente até mesmo da TV paga (15%) – confira os dados do gráfico 1.
  • TV aberta abocanha as verbas. A mídia que absorve a parte do leão das verbas publicitárias ainda é a tradicional, liderada por TV aberta (63%), Jornais (11,8%) e Revistas (7,1%). A internet assumiu a quarta posição (5,1%), à frente da TV paga, rádio, outdoor e cinema, confira no Gráfico 2.Participacao-das-midias-no-bolo-publicit
  • Gráfico 2 – Participação das Mídias no bolo publicitário – Brasil (2011). Fonte: US Media Consulting (março/2013). Gráfico por Géssica Hellmann & Cia.
  • Penetração das mídias. Quanto à penetração das mídias na população, a TV aberta lidera absoluta, com 97%, seguida por outdoor (86%), rádio (78%), jornais (60%), revistas (54%) e internet (40%). A TV a cabo ainda aparece como opção de baixa penetração, atingindo apenas 28% da população.

Mídia impressa resiste e prospera

  • Jornais impressos. A circulação dos jornais impressos continua crescendo no Brasil, a taxas de 1,8% em 2012 e 3,5% em 2011. Aproximadamente 46% dos brasileiros leem algum jornal.
  • A ascensão das revistas. A circulação de revistas no Brasil em 2011 bateu recorde de 13,7 milhões de exemplares vendidos. A penetração da mídia revista nas classes A e B é de 63% e, na classe C, de 38%.

TV e rádio: amores antigos

  • TV aberta: fonte preferencial. Para 90% dos brasileiros, a TV aberta é a fonte preferida de informação e notícias. Cerca de 175 milhões de brasileiros assistem à TV por uma média de 5 horas e 28 minutos diários.
  • TV paga: a evolução natural do hábito. 14,5 milhões de lares brasileiros já possuem TV por assinatura. Espera-se que essa mídia atinja 90% de penetração em 2018.
  • Rádio: o companheiro fiel. 90% dos lares brasileiros têm pelo menos 1 aparelho de rádio. 75% dos brasileiros afirmam ter ouvido rádio pelo menos uma vez nos últimos 7 dias. 49% dos brasileiros que têm aparelhos celulares capazes de receber a programação das rádios usam-nos regularmente para esse fim.
  • A segmentação do público do rádio. 80% dos automóveis em circulação no Brasil estão equipados com rádio. Considerando apenas a audição dentro do carro, a maioria dos ouvintes é composta por homens das classes A e B entre 25 e 54 anos. Entretanto, 36% do total dos ouvintes de rádio brasileiros são mulheres das classes CDE. Entre os brasileiros que ouvem rádio dentro do transporte público, 63% são adultos jovens, entre 20 e 34 anos.

Internet: paixão crescente

  • Todo mundo quer ter internet.Em 2012, o Brasil atingiu a marca de 85 milhões de usuários de internet, um número que deve subir a 154 milhões já em 2014, atingindo 80% dos lares
  • Usuários ativos. 70 milhões de brasileiros são usuários ativos, isto é, acessam-na regularmente de casa ou do trabalho.
  • O brasileiro é móbile. 73 milhões de brasileiros são assinantes de internet banda larga móvel, um crescimento de 421% em relação a 2010.
  • Internet é para comprar. Enquanto 67% das consumidoras brasileiras usam a internet antes de fazer uma compra, 95% dos consumidores brasileiros procuram informações online antes de comprar um carro
  • Publicidade na internet dá resultado. 68% dos usuários de internet brasileiros admitem que anúncios online influenciam suas decisões de compra. 57% dizem que são motivados a comprar produtos promovidos através de anúncios na internet, 56% dizem que são motivados por anúncios a visitar lojas online e 56% dizem que usam as mídias sociais para comprar produtos.
  • Mídia offline aumenta a eficácia da mídia online. 79% dos usuários de internet no Brasil pesquisam na internet informações sobre produtos que conheceram na mídia offline. As mídias offline que mais motivam a pesquisar produtos online são a TV (51%), Mídias Impressas (35%) e Outdoor (27%).
  • O que fazem os brasileiros na internet? As principais atividades em que os brasileiros se engajam quando estão na internet são as seguintes:
  1. Compras: 31 milhões de brasileiros visitam sites de e-commerce todo mês
  1. Busca de ofertas: Sites de descontos e cupons no Brasil cresceram 379% entre maio de 2010 e maio de 2011
  1. Mídia social: 97% dos usuários brasileiros de internet estão nas mídias sociais
  1. Leitura de blogs: Blogs têm uma taxa de 96% de penetração entre os usuários brasileiros de internet e 91% penetração entre os executivos brasileiros
  1. Jogos: os brasileiros gastaram 2 bilhões de dólares em jogos online em 2011
  1. Assistir a vídeos: O Brasil é o líder na América Latina em número de vídeos online assistidos e em número de espectadores únicos

Conclusão da primeira parte O que pode ser mais eloquente do que um número? Que tipo de argumento ainda é necessário para convencer alguém de que o mercado brasileiro oferece uma magnífica oportunidade para as empresas dispostas a investir na publicidade de suas marcas? Será preciso ainda explicar por que uma empresa que anuncia tem toda a probabilidade de vender mais do que outra que esconde sua marca embaixo da cama? Tenha sempre em mente que os fracassos em comunicação são sempre consequência de uma abordagem baseada em improvisação e amadorismo. O fator que sempre fará toda a diferença a favor do sucesso de uma campanha de comunicação de marketing é o fundamento científico de quem vai planejá-la. É preciso contar com o auxílio de profissionais que estejam atualizados com as mais recentes pesquisas sobre as técnicas, mídias e comportamentos dos consumidores para formular um plano orientado estrategicamente para seus objetivos. Agindo desta forma, você pode contar com praticamente 100% de confiança no sucesso de suas campanhas. (Originalmente publicado em O mapa da mídia no Brasil e na América Latina – Parte 1

http://www.administradores.com.br/artigos/marketing/o-mapa-da-midia-no-brasil-e-na-america-latina-parte-1/69531/

Garrafa da Pepsi muda pela primeira vez em 17 anos

São Paulo – A Pepsi está remodelando suas garrafas depois de mantê-las há 17 anos com o mesmo design. A partir de abril, as embalagens ganham um contorno que facilita o manuseio. O novo visual, mais jovem, faz parte da campanha “Live for now” e por enquanto está restrito aos produtos vendidos nos Estados Unidos.

“Essas garrafas são a maneira mais visível de nossos consumidores se conectarem com a nossa marca e nós queremos essa conexão para refletir nosso posicionamento”, comentou um porta-voz da Pepsi. “Consultores têm discutido a importância da inovação na embalagem para ajudar o valor da marca as vendas e esperamos fazer isso com a nossa nova garrafa”. O novo formato estará disponível nos tamanhos 470 ml e 590 ml.

http://exame.abril.com.br/marketing/galerias/embalagens/garrafa-da-pepsi-muda-pela-primeira-vez-em-17-anos?utm_source=newsletter&utm_medium=e-mail&utm_campaign=news-marketing.html